Os três maiores bancos brasileiros de capital aberto, Banco do Brasil (BB), Bradesco e Itaú estão, pela primeira vez, entre os 15 maiores das Américas - exceto Canadá. A informação é da consultoria Economática, com base nos balanços de resultados do segundo trimestre de 2008, convertendo os valores de reais para dólares americanos pela taxa de referência da moeda dos EUA calculada pelo Banco Central (Ptax) no fim de cada trimestre.

O Banco do Brasil subiu 15 posições no ranking, para a 12ª posição em junho, com ativos no valor de US$ 261,6 bilhões. De acordo com a Economática, em dezembro de 2002 o banco era o 27º, com ativos no total de US$ 57,9 bilhões. O Bradesco, por sua vez, galgou 24 posições, da 37ª em dezembro de 2002, com US$ 40,4 bilhões em ativos, para a 13ª colocação em junho de 2008, com ativos de US$ 253,3 bilhões. O crescimento no período foi de US$ 212,9 bilhões, o maior entre os três bancos brasileiros.

Já o Itaú cresceu 33 posições, saindo de US$ 31,5 bilhões no final de 2002, 48º lugar, para US$ 216,0 bilhões em ativos, no 15º lugar, um crescimento de US$ 184,5 bilhões. O Unibanco figura no 27º posto, com US$ 108 bilhões em junho de 2008, ante ativos de US$ 21,3 bilhões em dezembro de 2002 (59ª).

Embora o Banco do Brasil seja atualmente o maior banco brasileiro em ativos, no segundo trimestre deste ano a diferença em relação aos outros dois é a menor da história. O Bradesco tem 96,8% do total dos ativos do Banco do Brasil (sem contar aquisições recentes), enquanto o Itaú tinha o equivalente a 82,6% dos ativos em junho de 2008. No final de 2002, os índices eram respectivamente de 69,8% e 54,3% do total dos ativos do Banco do Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.