Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa volta a fechar em baixa, mas defende os 39 mil pontos

SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a sexta-feira em território negativo, mas defendeu os 39 mil pontos. Deixando de lado uma breve tentativa de alta observada no período da tarde, o Ibovespa fechou aos 39.

Valor Online |

131 pontos, queda de 1,02%. O giro financeiro foi baixo, somando R$ 3,06 bilhões.

Com três pregões seguidos de baixa, o índice fecha a semana com perda de 0,61%, mas já acumula alta de 6,93% em dezembro. No ano, o Ibovespa ainda deve 38,75%.

Segundo o diretor de renda variável da FinaBank Corretora, Edson Marcellino, o índice refletiu a realização dos ganhos com os papéis da Petrobras e Vale, que acumularam alta entre segunda e quarta-feira.

Além disso, esses ativos acompanharam o preço das commodities em especial do petróleo, cujo contrato com vencimento em janeiro chegou a ser negociado abaixo dos US$ 33 em Nova York. Liderando o volume do índice, Petrobras PN caiu 0,63%, para R$ 23,35, e Vale PNA cedeu 0,43%, para R$ 25,20.

Queda acentuada para os bancos. Bradesco PN caiu 4,47%, para R$ 24,55, e Itaú PN recuou 3,67%, a R$ 28,80. Destoando dos pares, Nossa Caixa ON subiu 3,15%, para R$ 68,00.

No entanto, Marcellino encara as perdas de hoje de forma salutar, pois abre espaço para uma retomada das compras na próxima semana, o que pode levar o Ibovespa o confirmar os 40 mil pontos antes do encerramento do ano.

Em Wall Street, o bom humor com o resgate às montadores parece durar pouco. Por volta das 18 horas, as compras perdiam força, com o Dow Jones apresentando leve baixa de 0,05%. Já a bolsa eletrônica Nasdaq subia 0,98%.

O presidente George Bush liberou US$ 17,4 bilhões ao setor. Os recursos vêm do TARP, plano de US$ 700 bilhões destinado ao setor financeiro. De imediato, as fabricantes de automóveis receberão US$ 13,4 bilhões.

Ainda de acordo com Marcellino, o grande foco de preocupação dos investidores continua no mercado externo e será difícil falar em tendência para o Ibovespa até o final do primeiro trimestre de 2009.

Um ponto positivo da semana é que os investidores estrangeiros estão voltando. Segundo a BM & FBovespa, no acumulado do mês até o dia 16, o saldo positivo de negociação direta dos não residentes somava R$ 208 milhões, revertendo uma saída de mais de R$ 3 bilhões observada na primeira semana de dezembro.

Marcellino também chama atenção para a troca de posições dentro do Ibovespa, com os investidores realizando lucros nos carros-chefe e buscando oportunidades em outros setores como energia, telecom e construção.

Destaque de alta dentro do Ibovespa para Light ON, que subiu 5,24%, para R$ 24,30. Cyrela ON ganhou 5,20%, fechando a R$ 9,10, e Aracruz PNB aumentou 4,8%, fechando a R$ 2,18.

O setor de telecom operou com destaque depois que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou a compra da Brasil Telecom pela Oi/Telemar. Refletindo isso, o papel ON da Telemar avançou 4,5%, para R$ 41,80, e o ativo ON da ON da Brasil Telecom Participações subiu 3,94%, para R$ 57,90.

Na ponta vendedora, a ações da TIM voltaram a perder valor. O ativo PN recuou 6,26%, para R$ 3,44. AmBev PN e KIabin PN perderam mais de 5% cada.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG