Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa teve alta na terça-feira; dólar subiu para R$ 2,327

SÃO PAULO - Os mercados brasileiros encerraram a terça-feira sem tendência única. Recuperando as perdas do começo do dia, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em território positivo.

Valor Online |

O dólar ignorou as atuações do Banco Central e fechou acima dos R$ 2,30. Com dinâmica própria, os juros futuros seguiram apontando para baixo, com mais agentes acreditando em um Banco Central ousado, cortando a Selic em 0,75 ponto percentual na semana que vem.

O tom positivo na Bovespa veio com uma recuperação no preço do petróleo, que subiu pela primeira vez em seis dias dando fôlego ao setor de commodities. Ao final do pregão o Ibovespa marcava alta de 0,36%, aos 39.544 pontos. O giro financeiro somou R$ 3,66 bilhões.

O ganho não foi maior porque no call de fechamento o humor em Nova York piorou muito, levando ao desmanche de algumas posições. Em Wall Street, em questão de segundos Dow Jones e Nasdaq passaram a recuar cerca de 1% cada, depois que a edição online do Wall Street Journal noticiou que o Citigroup está avaliando uma grande reestruturação.

Passado o baque da notícia, o Dow Jones recuperou parte das perda, mas ainda assim fechou com baixa de 0,30%. A bolsa eletrônica Nasdaq reverteu, ganhando 0,50%. Ainda de acordo com o WSJ, Carol Bartz, ex-presidente da Autodesk, aceitou assumir a presidência-executiva do Yahoo.

No mercado de câmbio, a última meia hora de pregão foi determinante para a taxa. Depois da venda à vista pelo Banco Central as compras aumentaram levando o dólar para cima dos R$ 2,30.

Além da intervenção no segmento à vista, o BC colocou US$ 500 milhões no mercado via leilão de venda com compromisso de recompra (leilão de linha). E dois minutos antes do fechamento do mercado, anunciou que fará, amanhã, leilão de venda de dólares com compromisso de recompra, combinado com a obrigação de repasse dos recursos em linhas de Adiantamento sobre Contratos de Câmbio (ACC) e Adiantamento sobre Cambiais Entregues (ACE) - instrumentos utilizados para financiar exportações.

Ao final da jornada, a divisa norte-americana era negociada a R$ 2,325 na compra e R$ 2,327 na venda, alta de 1,35%. Na roda de " pronto " da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), a moeda teve valorização de 1,33%, fechando a R$ 2,3265. O giro financeiro somou US$ 353,5 milhões. O giro interbancário foi forte, somando US$ 3,4 bilhões.

Segundo o diretor de câmbio do Banco Paulista, Tarcísio Rodrigues, não há motivo para a taxa ficar abaixo dos R$ 2,30, pois as principais fontes de receita em dólar do Brasil estão com graves problemas em função da crise internacionais.

As receitas de exportação recuam, os investimentos diretos estão escassos ou sendo cancelados e a falta de liquidez e maior aversão ao risco mantêm os investidores longo dos ativos financeiros do país.

À parte das oscilações no câmbio e nas bolsas, os juros futuros só pensam na redução na taxa Selic. E o mercado tem respaldo para isso, com a divulgação diária de indicadores apontando acentuada desaceleração da economia no quarto trimestre do ano passado.

O receio de alguns agentes ainda está relacionado com a taxa de câmbio, que em algum momento poderia chegar aos preços no varejo. Alguns especialistas, com o superintendente de tesouraria do Banco Banif, Rodrigo Trotta, acreditam que o Comitê de Política Monetária (Copom) pode evocar tal risco para justificar uma ação mais conservadora, com um corte de 0,5 ponto percentual na taxa básica de juros.

Ao final do pregão na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com o vencimento para janeiro de 2010, o mais líquido, apontava baixa de 0,09 ponto, a 11,47%. O contrato para janeiro 2011 caiu 0,14 ponto, também a 11,47%. E janeiro 2012 apontava 11,56%, perda de 0,11 ponto.

Na ponta curta, o contrato para março de 2009 perdeu 0,05 ponto percentual, para 13,06%, enquanto o DI para julho de 2009 recuou 0,04 ponto, projetando 12,23% ao ano.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG