Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa sobe mais de 3,5% e bate os 41 mil pontos

SÃO PAULO - Os investidores mantêm o tom positivo da terça-feira e levam a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) para cima dos 41 mil pontos. Por volta das 13 horas, o Ibovespa registrava valorização de 3,52%, aos 41.146 pontos, com giro financeiro em R$ 1,69 bilhão.

Valor Online |

 

O bom humor externo contribui para as compras. Em Wall Street, o dia começou com alta 0,58% para o Dow Jones e de 1,19% para o Nasdaq.

O destaque está com os dados de emprego da ADP. Segundo a empresa que processa folhas de pagamento, o setor privado norte-americano perdeu 522 mil empregos em janeiro, contra previsão de 515 mil a 525 mil.

De acordo com o Banco Fator, o impacto dos números da ADP sobre o estado de ânimo é positivo, mas reafirma a monumental tarefa do governo dos EUA na direção de abreviar a corrosão do mercado de trabalho.

Para a consultoria UpTrend, o dado apresenta uma melhora relativa no mercado de trabalho dos EUA, pois reverte a premissa de perdas constantes e crescentes de emprego, o que ocorre desde o início do ano passado.

Na avaliação da UpTrend, a estabilidade de indicadores econômicos em patamares negativos é a melhor notícia no curto prazo, pois nenhuma melhora significativa deve ocorrer antes do primeiro, ou mesmo segundo trimestre de 2009.

O relatório da ADP é tido como uma prévia dos dados oficiais do Departamento de Trabalho, que serão apresentados na sexta-feira. A previsão aponta para perda de 500 mil postos de trabalho.

De volta ao mercado interno, as ações da Vale seguem operando com destaque. O papel PNA subia 6,86%, a R$ 31,00, e o ON aumentava 5,66%, a R$ 35,83. Entre as siderúrgicas, Gerdau PN ganhava 5,70%, a R$ 16,48, e CNS ON tinha alta de 3,71%, a R$ 37,69. Tanto as mineradoras quanto as siderúrgicas ganham valor em meio a rumores e relatórios sugerindo retomada na demanda na China.

Com o segundo maior volume do dia, Petrobras PN tinha acréscimo de 3,16%, negociada a R$ 26,39. O barril de petróleo sobe pelo segundo dia seguido retomando os US$ 41 o barril de WTI.

O destaque de alta pelo segundo dia segue com as construtoras. Cyrela ON ganhava 9,13%, para R$ 11,35, e Gafisa ON subia 6,96%, a R$ 14,12.

Na ponta vendedora, Celesc PNB caía 3,20%, a R$ 32,67, B2W Varejo perdia 2,85%, a R$ 22,79, e Klabin PN recuava 2,07%, para R$ 3,30.

O papel ON da operadora TIM se desvalorizava 1,80%, a R$ 6,53. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) suspendeu a determinação que obrigava que da Telco, holding que controla a Telecom Italia SpA, a fazer uma oferta pública de aquisição pelos minoritários da TIM Part. O colegiado deu mais tempo para a empresa italiana apresentar recurso contestando o parecer da área técnica da autarquia.

Fora do índice, atenção para as ações da Telebrás. O papel ON ganhava 13,88%, a R$ 0,41, e o PN subia 9,09%, a R$ 0,36. O Conselho de Administração da companhia aprovou o aumento de capital de R$ 200 milhões mediante a capitalização de créditos da União.

No câmbio, a menor aversão ao risco e as commodities em alta aqui e lá fora puxam o dólar para baixo dos R$ 2,30, importante ponto de resistência. Há pouco, o dólar comercial era negociado a R$ 2,289 na venda, queda de 1,37%.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: bovespa

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG