SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a terça-feira em alta, revertendo as perdas dos últimos dois pregões. Ao final do dia o Ibovespa marcava valorização de 2,34%, aos 39.510 pontos, maior patamar em quase um mês. O giro financeiro foi de R$ 3,46 bilhões.

Entre os ativos de maior peso na carteira, Petrobras PN subiu 2,90%, para R$ 27,98; Vale PNA avançou 1,27%, a R$ 27,05; BM & FBovespa ON aumentou 1,77%, cotada a R$ 6,87; Bradesco PN valorizou 1,74%, a R$ 22,20; e Itaú PN ganhou 2,19%, para R$ 24,64.

Em Wall Street, a bolsa de Nova York fechou em forte alta consolidando seus lucros nos últimos minutos do pregão, graças aos bons números do setor imobiliário e um salto dos valores tecnológicos: o Dow Jones subiu 2,48%, e o Nasdaq, 4,14%.

O início da construção de casas e as permissões para construção outorgadas nos Estados Unidos subiram inesperadamente em fevereiro, após sete meses em queda.

Muitos economistas tentavam atenuar o otimismo, falando em uma recuperação temporária do setor, que está no centro da crise, mas admitindo que o mercado não ignora as notícias positivas e reage de acordo.

Dólar

A moeda americana fechou os negócios desta terça-feira em alta ante o real de 0,40%. Depois de uma manhã instável, repercutindo uma saída de recursos e um ajuste às baixas registradas recentemente, o dólar ficou cotado a R$ 2,28.

O dólar ignorou o bom humor dos mercados acionários, que cravavam forte alta diante de números positivos do setor imobiliário dos Estados Unidos.

Leia mais sobre Bovespadólar

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.