SÃO PAULO - Revertendo três pregões consecutivos de baixa, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) teve a segunda maior alta diária do ano e voltou a registrar variação positiva, de 3,31%, no acumulado de 2009. Em forte alta desde o início do pregão, o Ibovespa fechou a terça-feira com valorização de 5,59%, aos 38.

794 pontos. O giro financeiro foi alto, de R$ 4,52 bilhões.

O tom positivo do dia veio de um dos segmentos menos prováveis, o setor financeiro americano. Em carta enviada aos funcionários e depois postada na SEC (Securities and Exchange Commission, órgão regulador do mercado nos EUA), o presidente do Citigroup, Vikram Pandit, disse que o banco está apresentando lucro nos dois primeiros meses do ano, período no qual a receita, excluindo itens extraordinários, somou US$ 19 bilhões. Tal desempenho acena para o melhor trimestre do banco desde o terceiro trimestre de 2007.

Pandit também se disse desapontado com o preço das ações do Citi, que chegaram a valer menos de US$ 1 na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE, na sigla em inglês).

Hoje, o ativo do Citigroup foi um dos mais procurados do setor, subindo 38,10%, para US$ 1,45. Os pares do setor também tiveram altas expressivas, contribuindo para a valorização de 5,80%, registrada pelo Dow Jones, que fechou aos 6.926 pontos. Ainda em Wall Street, S & P 500 ganhou 6,37%, para 719 pontos, e o Nasdaq valorizou 7,07%, a 1.358 pontos.

Segundo o analista-chefe da XP Investimentos Corretora, Rossano Oltramari, a sinalização dada pelo Citi gerou um dia de euforia para o mercado, mas nada além disso.

" A recomendação segue de cautela. O que vimos hoje não significa mudança de tendência, apenas uma correção de preços " , resume
Ainda de acordo com o analista, não é possível identificar a entrada de dinheiro novo no mercado ou a formação de posições. Segue o foco no curto prazo, com giro de carteiras e posições.

Dentro do Ibovespa, Petrobras PN liderou os ganhos avançando 5,33%, para R$ 27,07, e Vale PNA ganhou 6,20%, para R$ 27,07. Entre as siderúrgicas, Usiminas PNA apontou alta de 6,23%, a R$ 24,72, e CSN ON valorizou 7,81%, a R$ 33,10.

Entre os bancos, Bradesco PN subiu 6,01%, para R$ 21,49, Itaú PN aumentava 6,32%, para R$ 23,20, e Banco do Brasil ON valorizou 4,31%, a R$ 14,03.

As units da América Latina Logística tiveram o maior ganho do índice, com aumento de 13,90%, para R$ 9,34. Amanhã a empresa apresenta seus resultados trimestrais. Já o papel ON da JBS subiu 10,48%, para R$ 4,53. A empresa aumentou o pagamento de dividendos de R$ 51,1 milhões, para R$ 102,3 milhões. Ganho expressivo, de 11,73%, para B2W Varejo ON, que fechou a R$ 22,00.

Apenas 2 dos 66 papéis que compõem o índice apresentaram baixa. GOL PN recuou 1,62%, para R$ 8,45, e VCP PN cedeu 1,39%, a R$ 8,51.

Fora do índice, o destaque segue com os recibos de ações (BDR) da Agrenco, que ganharam 13,72%, para R$ 0,58, com mais de R$ 20 milhões em volume. Os agentes seguem especulando sobre o futuro da companhia, que está em recuperação judicial. Bom desempenho também para o ativo ON da OGX Petróleo, que avançou 12,8%, para R$ 643.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.