Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa segue perdas em NY e fecha em baixa

A terça-feira foi uma típica sessão de realização de lucros na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), com os investidores encontrando suporte nas baixas em Nova York para embolsar parte dos lucros da véspera, quando o Ibovespa subiu mais de 8%. Após as 16 horas (de Brasília), a diminuição das perdas em Wall Street permitiu a recuperação dos negócios domésticos, levando o Ibovespa, inclusive a operar em alta, amparado ainda na reversão da queda nas ações da Petrobras e na aceleração da alta dos papéis da Vale.

Agência Estado |

Porém, os ganhos não se sustentaram até o fechamento dos negócios. A volta de Petrobras para o vermelho e a nova ampliação das baixas nos Estados Unidos levaram o Ibovespa à queda.

No encerramento, o índice e registrou declínio de 1,01%, a 39.043,39 pontos. Na mínima, o Ibovespa bateu 38.083 pontos, em baixa de 3,44%, e, na máxima, o indicador subiu 1,37% a 39.980 pontos. O volume financeiro somou R$ 4,382 bilhões. No mês, o índice acumula perda de 21,19% e no ano, de 38,39%.

"As notícias têm reforçado a determinação dos governos e dos bancos centrais em injetar recursos nos bancos e no mercado", afirmou um experiente profissional do mercado financeiro, destacando hoje o pacote de ajuda aos fundos mútuos de mercado monetário nos Estados Unidos. "E isso é positivo", afirmou. "Mas o mercado segue com tom negativo por conta da expectativa de recessão. E os indicadores macroeconômicos não têm vindo nada bons", completou p profissional. O plano a que ele se refere é a decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) de financiar até US$ 540 bilhões em compras de dívida de curto prazo dos fundos mútuos de mercado monetário.

Em Wall Street, o noticiário corporativo ofuscou a melhora nos mercados de crédito no exterior e manteve os índices acionários pressionados em território negativo na maior parte do dia. A gigante industrial DuPont e as empresas de tecnologia Texas Instruments e Sun Microsystems divulgaram alerta de resultado, enquanto as taxas de empréstimo entre os bancos seguiram registrando declínio, uma indicação de que o dinheiro começa a fluir no mercado de crédito. À tarde, as Bolsas americanas reduziram a queda, coincidindo com a divulgação do montante de US$ 540 bilhões de ajuda aos investidores do mercado monetário.

Em Nova York, o índice Dow Jones encerrou em queda de 2,50%, o S&P-500 recuou 3,08% e o Nasdaq 100 cedeu 4,14%. "E a Bovespa está sem tendência, colada nas Bolsas dos Estados Unidos. Se lá melhora, aqui melhora e vice-versa", resumiu o diretor de uma corretora em São Paulo.

Ainda do exterior, a queda nos preços do petróleo corroborou o declínio do Ibovespa, em razão do efeito sobre as ações da Petrobras - apesar de os papéis mostrarem um ensaio de melhora à tarde. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), o contrato futuro do petróleo tipo WTI para novembro, que venceu hoje, terminou em queda de 4,53%, a US$ 70,89 o barril.

Ações

Na Bovespa, as ações preferenciais (PN) da Petrobras recuaram 1,54% e as ordinárias (ON) caíram 0,98%.

As ações da Vale, por sua vez, sustentaram os ganhos até o fim. Os papéis da mineradora encontraram suporte na expectativa positiva em torno dos resultados da Vale, que serão divulgados na quinta-feira (dia 23), após o fechamento do mercado doméstico, e em rumores, negados pela empresa, de que a companhia teria feito nova oferta de compra da anglo-suíça Xstrata. As ações PN classe A (PNA) da Vale encerraram o dia em alta de 1,15% e as ações ON subiram 1,02%.

As ações do setor da construção civil seguiram entre as maiores altas do Ibovespa, ainda sob efeito da sinalização de que governo brasileiro poderá ajudar as empresas da área em meio aos efeitos da crise financeira internacional, que tende a reduzir a oferta de crédito. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, informou que o governo está elaborando um sistema para viabilizar de R$ 3 bilhões a R$ 4 bilhões para financiamento ao setor. As ações ON da Rossi Residencial subiram 11,94% e liderou os ganhos no índice, seguida pelos papéis ON da JBS, com avanço de 10,39%, e Gafisa ON, com alta de 7,41%.

As maiores quedas do índice foram registradas pelos units da ALL, em baixa de 11,79%, BM&FBovespa ON (-5,91%) e Tim Participações PN (-5,87%).

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG