Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa segue NY e reduz perdas no fim do pregão

Após chegar a uma queda de mais de 8% durante o pregão, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) reduziu o ritmo de perdas e fechou em queda de 1,06%, aos 36.441 pontos, em um pregão de grande volatilidade. O giro financeiro foi de R$ 5,522 bilhões.

Redação com agências |

 

A definição de uma trajetória de alta das ações no pregão em Nova York à tarde, em especial a ampliação dos ganhos na última hora de pregão, ajudou a reduzir as perdas na Bovespa. Mas a forte pressão de baixa em razão do declínio dos preços das matérias-primas (commodities), com o petróleo abaixo dos US$ 70 por barril pela primeira vez desde agosto de 2007, impediu que o índice Bovespa fechasse a quinta-feira no azul, como seus pares norte-americanos.

Nesta semana, o Ibovespa ainda acumula variação positiva de 2,34%. Mas no acumulado de outubro, o Ibovespa registra expressiva queda de 26,44%.

Em Nova York, todos os índices fecharam em altas expressivas, com os investidores buscando ações que tiveram forte desvalorização no pregão de ontem.

O Dow Jones recuperou 4,68% e o Nasdaq saltou 5,49%. O índice ampliado Standard & Poor's 500 subiu 4,25% (38,59 pontos) a 946,43 pontos.

No noticiário nos EUA desta quinta-feira, os investidores equilibraram indicadores desfavoráveis sobre a economia norte-americana - como a maior queda da produção industrial em 34 anos e a maior baixa mensal da história no índice de atividade industrial do Fed da Filadélfia - e outros melhores, como a estabilidade do índice de preços ao consumidor em setembro e a queda no número semanal de pedidos de auxílio-desemprego.

Mas se a queda do petróleo ajudou os índices de ações nos EUA, no Brasil o efeito foi contrário, uma vez que afeta negativamente as ações da Petrobras - que respondem por cerca de 18% do Ibovespa. Hoje, as ações preferenciais (PN) da estatal caíram 7,50% e as ordinárias (ON) recuaram 8,67% - liderando as baixas do índice.

Apenas na abertura do pregão pela manhã o Ibvespa conseguiu sustentar-se em território positivo, quando subiu 1,52%, aos 37.394 pontos, na máxima. Na mínima, chegou perto do limite para que fosse acionado o circuit breaker ao cair 8,36%, para 33.752 pontos.

Dólar

Depois de um pregão de forte volatilidade, o dólar diminuiu o ritmo de valorização na reta final do pregão, com a ajuda do Banco Central.

A moeda americana fechou com leve queda de 0,18%, cotada a R$ 2,160.

Segundo um operador de um banco estrangeiro, com os três leilões do Banco Central hoje, em que vendeu cerca de US$ 1,4 bilhão de moeda em espécie (sendo US$ 1 bilhão com recompra) e outros US$ 1,8 bilhão em contratos de swap cambial, algumas tesourarias ajustaram suas posições, levando a cotação da moeda americana a inverter o sinal.

(Com informações do Valor Online e Agência Estado)

Mais notícias

 

Para saber mais

 

Serviço 

 

Opinião

Leia tudo sobre: bovespadolar

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG