Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa segue em alta e deve buscar os 73 mil pontos

SÃO PAULO - A tentativa de retomar os 70 mil pontos esbarrou nas ações da Vale e na instabilidade externa nesta quarta-feira, mas a direção ainda é de alta. Depois de fazer máxima aos 70.

Valor Online |

476 pontos, o Ibovespa fechou aos 69.979 pontos, valorização de 0,58%. O giro permaneceu elevado, somando R$ 8,17 bilhões. Tal patamar de fechamento é o maior desde 13 de janeiro, quando o índice valia 70.385 pontos.

Segundo o sócio da Wagner Investimentos Ltda, Milton Wagner, a Bovespa retomou a tendência de alta de médio prazo e pode subir até a linha dos 73 mil pontos.

Para fazer tal afirmação Wagner tem como base um modelo quantitativo que avalia as posições dos grandes agentes de mercado em mais de 50 ativos ao redor do mundo. O que esse modelo sugere é que a bolsa brasileira rompeu a concentração de médio prazo, o que abre caminho para novas altas. A linha a ser observada está aos 68 mil pontos, ou seja, acima disso, a chance de valorização do índice é maior.

Vale lembrar que, no começo de fevereiro, o movimento foi inverso. As concentrações foram rompidas para baixo, o que levou o índice rapidamente dos 67 mil pontos para a linha dos 62 mil pontos. No entanto, a tendência de longo prazo foi respeitada, ou seja, o índice não perdeu os 60 mil pontos, e desde então o mercado vem se recuperando gradativamente.

Wagner também chama atenção para o comportamento da aversão a risco, que vem em clara tendência de redução. O modelo capta isso vendo o movimento do VIX, índice que mede a volatilidade das opções das ações das ações americanas. O VIX está rompendo as concentrações e reforçando o viés de baixa.

O modelo também é capaz de avaliar o comportamento do câmbio. No caso do dólar, o preço da moeda americana tenta confirmar o rompimento da linha de concentração, que está na casa de R$ 1,80. Isso indica que, caso o dólar fique consistentemente abaixo dessa linha, está aberto o caminho para uma queda até a casa de R$ 1,70 a R$ 1,72.

Wagner chama atenção para o comportamento do preço dos metais e do petróleo, que estão com uma feição muito parecida com o gráfico da Bovespa. Fora a indicação do modelo, a perspectiva de alta das commodities é amplificada pela previsão de aumento de consumo e preço para esses produtos. "As commodities subindo ajudam o dólar a cair e a Bovespa a subir. Com isso, podemos ter uma confirmação da tendência de alta", resume.

Os ativos PN da Petrobras voltaram a liderar o volume, movimentando R$ 1,19 bilhão. O papel fechou com alta de 1,36%, a R$ 37,00. O ativo ON ganhou 1,44%, a R$ 41,30.

Impedindo um melhor desempenho do índice, o papel PNA da Vale caiu 1,27%, a R$ 47,06, com giro de R$ 1,02 bilhão. O UBS rebaixou a recomendação dos recibos de ação da empresa (ADR) negociados em Nova York citando o fraco resultado trimestral da mineradora. O ADR caiu 1,04%, para US$ 30,39.

Pelo lado "positivo", o diário japonês Nikkei noticiou que empresa propôs uma alta de 90% no preço do minério vendido às siderúrgicas do país. Questionada, a Vale disse que não comenta informações sobre as negociações de reajuste do minério.

O setor siderúrgico seguiu atraindo compradores. CSN ON subiu 1,73%, a R$ 67,56. Ontem, o controlador da empresa, Benjamin Steinbruch, fez comentário sobre a área minério de ferro da companhia. A ideia é montar uma empresa com vendas de 150 milhões de toneladas por ano e com capital aberto em bolsa.

Ainda no setor, Usiminas PNA subiu 0,70%, a R$ 57,00, e Gerdau PN teve acréscimo de 0,83%, a R$ 27,83. Também entre os maiores volumes, OGX ON ganhou 0,82%, a R$ 17,01.

Depois de uma sequência de baixa, Telemar e Brasil Telecom ficaram atraentes à compra. O papel PN da Brasil Telecom ganhou 5,45%, a R$ 13,15, e o PN da Telemar subiu 4,48%, a R$ 33,10.

Ganhos também no setor de construção. MRV ON fechou com alta de 5,81%, maior alta do índice, a R$ 13,65. PDG Realty ON avançou 3,68%, a R$ 16,90, e Rossi ON teve acréscimo de 2,70%, a R$ 14,43.

Na ponta de venda, o papel ON da JBS voltou a perder valor, recuando 3,32%, a R$ 9,29. O papel PN da Bradespar, um dos maiores acionistas da Vale, caiu 2,67%, a R$ 41,90, e as units da América Latina Logística cederam 1,63%, a R$ 16,89.

Fora do índice, os recibos de ações da Laep giraram mais de R$ 200 milhões até fechar com baixa de 4,13%, a R$ 1,39. Ontem, o papel ganhou 17% e hoje chegou a subir mais de 20%.

As ações ON da Brasil Ecodiesel avançavam 2,67%, a R$ 1,15, recuperando parte da desvalorização ocasionadas pela perda do Selo Combustível Social. O certificado permitia que quatro usinas da empresa disputassem 80% dos lotes de biodiesel leiloados pela ANP.

Já Telebrás PN segue perdendo valor. O ativo caiu 11,17%, a R$ 1,51. Ontem, ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Franklin Martins, disse que Plano Nacional de Banda Larga não será implementado totalmente em 2010. " O plano está sendo concebido para ir até 2014 e é evidente que não será todo realizado este ano. Parte dele será feito este ano " , disse Martins em audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado.

Ainda na chamada quinta linha. Hotéis Othon ON disparou 19,54%, a R$ 1,59, e Pet Manguinhos ON ganhou 15,21%, a R$ 1,06.

(Eduardo Campos | Valor)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG