Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa se recupera e fecha em alta de 5,48%

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) seguiu o exterior no fim do pregão e fechou em forte alta. O Ibovespa subiu, nesta quinta-feira, 5,48% e atingiu os 48.422 pontos. O ganho diário foi o maior desde o dia 30 de abril, data na qual o País recebeu seu primeiro grau de investimento.

Redação com agências |

 

Acordo Ortográfico

Nos Estados Unidos, os índices também avançaram no fim do dia. Os índices terminaram com ganhos de 3,86% (Dow Jones) e 4,78% (Nasdaq), puxados pelo segmento financeiro.

Entre os motivos apontados para o avanço estão um suposto plano para criação de um fundo do governo dos EUA para assumir as dívidas podres dos bancos e as iniciativas para limitar as vendas a descoberto dos papéis financeiros.

Segundo a cadeia de notícias CNBC, o secretário do Tesouro norte-americano, Henry Paulson, está trabalhando na criação de uma facilidade do governo para assumir dívidas podres das instituições financeiras. A facilidade será semelhante à Resolution Trust Corporation, criada no fim dos anos 1980 para assumir os ativos das instituições de poupança que atravessavam forte crise, acrescentaram as fontes.

O senador democrata Charles Schumer - membro do Comitê de Bancos do Senado - confirmou que o governo federal está considerando criar uma nova agência para lidar com as aquisições e socorros as firmas financeiras. "O Federal Reserve e o (Departamento do) Tesouro estão se dando conta de que precisamos de uma solução mais ampla", disse Schumer, acrescentando que a nova agência não deve apenas assumir os ativos ruins das companhias falidas, mas também modificar os empréstimos hipotecários para dar um alívio aos proprietários de imóveis.

A Bovespa vem tendo uma semana instável, alternando ganhos e perdas desde a última segunda-feira, quando o banco norte-americano Lehman Brothers anunciou pedido de concordata.

Arte/US

Dólar

O anúncio de que o Banco Central vai oferecer dólares em operações compromissadas permitiu que a moeda norte-americana perdesse fôlego no final do dia. O dólar fechou a R$ 1,921, com alta de 2,89%. No momento de maior pressão, o dólar chegou a ter alta de 5,03%, para R$ 1,961.

A instabilidade mais acentuada foi verificada nos negócios com dólar e juros futuros, onde rumores de acentuada saída de recursos do país, aliados a um movimento especulativo contra a moeda, distorcem a formação de preço dos ativos. O BC vai vender dólares ao mercado com compromisso de recompra, disse em Nova York o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. O objetivo é suprir o crédito em moeda estrangeira que secou em meio à crise financeira global.

(Com informações da Reuters, Efe, Agência Estado e Valor Online)

Serviço 

 

Mais notícias

Para saber mais

 

Opinião


Leia mais sobre o dólar e a Bovespa

COMENTE: E você, tem investimentos na bolsa? Conte sua história

Leia tudo sobre: bovespadolar

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG