SÃO PAULO - A quarta-feira tem contorno negativo na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Depois dos ganhos de ontem, as vendas devem voltar a prevalecer refletindo o cenário externo.

A indicação é dada pelo Ibovespa futuro. Há pouco, o contrato com vencimento em dezembro apresentava queda de 0,56%, para 35.150 pontos, na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F).

Em Wall Street, a sinalização também é de baixa, com os investidores mantendo a cautela ante uma carregada agenda de indicadores, que inclui o índice de atividade no setor de serviços, os dados sobre o mercado de trabalho da ADP, empresa que processa folhas de pagamento, e o Livro Bege do Federal Reserve (Fed), banco central norte-americano.

Na Europa, o dia já é de perdas, com os investidores lidando com quedas recordes nos índices de atividade no setor serviços na zona do euro e no Reino Unido. Há pouco, o FTSE-100, da Bolsa de Londres, perdia 1,01%, enquanto o Xetra-DAX, desvalorizava 2,16%
A terça-feira foi de recuperação tanto na Bovespa quanto em Wall Street depois das acentuadas quedas um dia antes.

Por aqui, o Ibovespa registrou alta de 0,75% ontem, encerrando aos 35.000 mil pontos. O giro financeiro ficou em R$ 6,64 bilhões, inflado pela oferta pública de aquisição (OPA) das ações da Anglo Ferrous Brazil, empresa cindida do capital da MMX e adquirida pela Anglo American, que movimentou R$ 3,173 bilhões. Também aconteceu a OPA de ações ON e PN da Petroquímica União, que movimentou R$ 271,58 milhões.

Em Wall Street, o Dow Jones garantiu alta de 3,31%, enquanto a bolsa eletrônica Nasdaq avançou 3,7%.

A quarta-feira terminou de forma positiva para os mercados asiáticos. Tóquio puxou a fila avançando 1,79%. Hong Kong e Xangai valorizaram 1,36% e 4,01%. Já Seul teve leve baixa de 0,05%.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.