Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa opera com forte baixa nesta terça; dólar segue acima dos R$ 2,30

SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) segue com forte desvalorização nesta terça. A retração chega a 4,37%. O Ibovespa, principal índice do mercado paulista, registra 40.013 pontos. Commodities em baixa, preocupação com o setor financeiro, rumores de falência da General Motors e descrença com os planos de estímulo econômico são os fatores por trás dessa perda acentuada de valor das ações nesta terça-feira. No mercado externo o Dow Jones registra baixa de 3,66% e o Nasdaq de 4,07%.

Redação com agências |

 

Na decomposição da baixa dentro do mercado interno, o setor bancário liderava as quedas do Ibovespa: Itaú PN perde 5,20%, Unibanco Unit -5,30% e Itaúsa PN (holding do Itaú), -5,08%. Banco do Brasil ON exibia baixa de 2,55%, Bradesco PN recuava 3,97% e Banco Nossa Caixa ON, -0,07%.

Na mesma lista, agora dentro das commodities, apareciam os papéis ON de Vale, com queda de 5,75% e as PN de Bradespar, que possui fatia no bloco de controle da mineradora, com -5,10%. No mercado de metais, o dia também é de baixa significativa, diante do aumento dos estoques e da divulgação de indicadores nos Estados Unidos que reforçam a desaceleração econômica e o impacto na demanda pela commoditie.

No mercado externo, o dia é marcado por resultados negativos após a agência de classificação de risco Moody's ter alertado para o risco que os bancos do Leste Europeu enfrentam por causa da deterioração econômica na região, e o impacto sobre os controladores sediados na Europa Ocidental.

A preocupação com os bancos europeus levou o ouro negociado no mercado internacional a operar no maior nível desde julho do ano passado, tanto no mercado à vista quanto no futuro, com os investidores trocando euros pelo metal precioso. Ainda na Europa, as vendas no mercado acionário se concentram no setor bancário.

Em Wall Street, as atenções estão voltada para o índice S & P 500 que rompeu os 800 pontos e testa mínimas não observadas desde novembro do ano passado. Há pouco, o índice caía 4,37%, para 790 pontos. Para alguns analistas técnicos, a perda desse suporte implica em aumento nas ordens de vendas.

As venda não deram trégua mesmo depois que a Casa Branca anunciou que o presidente Barack Obama anunciará amanhã os detalhes do plano de ajuda para os devedores hipotecários. O projeto prevê o uso de ao menos US$ 50 bilhões.


Câmbio

Refletindo o ambiente de aversão ao risco, o dólar ganha sobre as principais moedas e sobe com força. Por aqui, a divisa americana também avança ante o real retomando o patamar de R$ 2,30. Há pouco, a moeda era negociada a R$ 2,325, ganho de 1,97%.

 

(Com informações do Valor Online)

Leia mais sobre: Bolsa e dólar

Leia tudo sobre: bolsa e dólar

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG