Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa marca terceiro dia de alta e garante os 41 mil pontos

SÃO PAULO - Com ajuda do mercado externo e contínuo fluxo de recursos para os papéis da Vale, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) garantiu fechamento acima dos 41 mil pontos, algo não observado desde 9 de janeiro. Depois de um breve passeio pelo território negativo, o Ibovespa firmou alta, fechando a quinta-feira aos 41.

Valor Online |

108 pontos, valorização de 2,44%. O giro financeiro seguiu elevado, passando de R$ 4,3 bilhões. Na semana, o indicador acumula ganho de 4,6%.

Em Wall Street, o pregão ganhou rumo com o surgimento de notícias de que o governo pode anunciar um novo plano de resgate para o setor financeiro na segunda-feira. Tal plano contemplaria a criação do " bad bank " , que concentraria os créditos podres que estão na carteira dos bancos. Por volta das 18 horas, o Dow Jones apontava alta de 0,96%, enquanto o Nasdaq subia 1,48%.

Segundo o analista da Corretora Souza Barros, Clodoir Vieira, a valorização da Bovespa está apoiada na expectativa de retomada no preço das commodities, o que estimula a compra dos carros-chefe do índice. " A notícia de que não tem mais navio para alugar e carregar minério deu um empurrão nas compras. "
No entanto, o especialista acredita que a valorização dos últimos dias ainda não configura uma mudança de tendência. O que existe é uma euforia em cima dos papéis relacionados às matérias-primas.

Segundo Vieira, outro fator que vêm beneficiando o mercado brasileiro é a consolidação da ideia de que a bolsa brasileira será uma das primeiras a se recuperar assim que a crise der uma trégua.

O destaque, mais uma vez, fica com a ação PNA da Vale, que movimentou R$ 771 milhões, e fechou com alta de 4,32%, a R$ 31,35. O ativo ON subiu 4,34%, para R$ 36,95, com o terceiro maior volume do dia.

Desempenho positivo também para o papel PN da Petrobras, que encerrou a R$ 26,00, alta de 1,16%. O barril de WTI teve alta no mercado externo.

As siderúrgicas reverteram as perdas e voltaram a apontar para cima. CSN ON aumentou 3,27%, para R$ 38,75, e Usiminas PNA teve ganho de 3,65%, a R$ 30,89.

Seguindo os pares externos, os bancos brasileiros também ganharam valor. Bradesco PN subiu 3,34%, para R$ 21,60, Itaú PN valorização 4,27%, valendo R$ 24,41, e Banco do Brasil ON teve alta de 3,15%, para R$ 14,40.

Na ponta vendedora, Rossi ON caiu 5,26%, para R$ 3,78, depois de apontar queda acentuada nas vendas contratadas do quarto trimestre. Ontem, o papel já tinha afundado 16,7%. Baixa de 2,60% para Brasil Telecom Part PN, que valia R$ 14,59.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG