Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa garante alta de 0,85% com ajuda das ações da Petrobras

SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) acompanhou lado a lado a movimentação no mercado norte-americano e garantiu fechamento em território positivo nesta quarta-feira. Depois de cair 3,4% pela manhã, o Ibovespa encerra o dia com valorização de 0,85%, aos 35.

Valor Online |

296 pontos. O giro financeiro ficou em R$ 3,42 bilhões.

Segundo o assessor de investimentos da Corretora Souza Barros, Luiz Roberto Monteiro, o comportamento das ações da Petrobras distorceu um pouco o índice. Uma grande operação de compra do Credit Suisse puxou uma alta de 5,51%, no papel PN da estatal, que fechou a R$ 19,31, com mais de R$ 700 milhões em giro. O papel ON ganhou 5,54%, para R$ 22,84.

A informação que correu pelas mesas é de que aconteceu uma zeragem de posição vendida, ou seja, não foi um compra nova - algum investidor que tinha aposta contra o papel resolveu reverter a posição.

Fora esse fato, Monteiro aponta que o índice seguiu a sinalização proveniente de Nova York, onde as compras prevaleceram apesar da série de indicadores negativos que confirmaram o fechamento de postos de trabalho no mês de novembro e menor atividade no setor de serviços. Faltando cerca de meia hora para o fechamento dos negócios, o Dow Jones subia 1,13%, enquanto a bolsa eletrônica Nasdaq ganhava 1,48%.

Voltando o foco para a Bovespa, o assessor afirma que a bolsa não tem tendência. A incerteza que cerca tanto a economia doméstica como a externa dificulta a formulação de cenários e, por conseqüência, a tomada de decisões. " O problema ainda persiste, não se sabe o tamanho das perdas no setor financeiro e imobiliário dos EUA. "
Em relatório, o banco UBS disse que o Brasil é seu mercado de ações favorito para 2009, pois as ações estão sub-valorizadas e o Banco Central deve promover um corte de juros.

No entanto, o especialista aponta que esse tipo de comentário perdeu a força que costumava ter. " Os relatórios perderam um pouco de credibilidade. O mesmo analista que disse que o petróleo chegaria aos US$ 250 no primeiro semestre, agora, aponta que o barril vai para US$ 30 ou US$ 40. "
Segundo Monteiro, a tomada de decisão, agora, tem um cunho muito mais pessoal, em cima do conhecimento das empresas e não mais com base em relatórios. " O mercado funciona em cima de informação e ela custa caro. Tudo que é solto ao vento perde um pouco de credibilidade. "
No âmbito corporativo, os bancos registram um pregão de alta moderada. Bradesco PN encerrou com ganho de 0,82%, a R$ 24,39, e Itaú PN subiu 0,98%, fechando a R$ 26,70.

Forte valorização para o ativo ON da Embraer. O preço da ação aumentou 6,74%, fechando a R$ 9,50. Bom desempenho também para o papel PN da NET, que fechou a R$ 14,01, ganho de 6,29%.

Segurando uma alta mais expressiva do índice, BM & FBovespa ON caiu 5,67%, para R$ 4,32, com o terceiro maior volume negociado. O papel PNA da Vale acabou com perda de 0,13%, a R$ 22,46. Hoje, a mineradora anunciou a demissão de 1,3 mil funcionários e concedeu férias coletivas para outros 5,5 mil.

Ainda na ponta vendedora, perda de 8,46%, para o ativo ON da Redecard, que fechou a R$ 23,80. Cyrela ON, B2W Varejo ON e TIM Part ON perderam mais de 6% cada.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG