SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) supera a instabilidade do início do pregão e firma posição em território positivo. Por volta das 13h15, o Ibovespa ganhava 1,85%, para 38.

837 pontos, com giro financeiro em R$ 1,09 bilhão.

As compras por aqui seguem a sinalização externa, onde as compras ganharam força depois que a Associação dos Corretores de Imóveis apontou alta de 6,5% na venda de casas usadas em dezembro, superando o esperado. Em Wall Street, Dow Jones ganhava 1,43%, enquanto o Nasdaq subia 2,14%.

Os dados positivos mitigaram o impacto do fraco resultado trimestral da Caterpillar. A fabricante de máquinas pesadas fechou o quarto trimestre com lucro de US$ 661 milhões, ou US$ 1,08 por ação, 32% menor que os US$ 975 milhões obtidos em igual período do ano passado. O resultado ficou abaixo do US$ 1,30 estimado pelos analistas. A empresa também reduziu a previsão de ganho para 2009 e anunciou que deu início à demissão de 20 mil funcionários.

Ainda no front corporativo, o McDonald´s também teve lucro menor no último trimestre do ano passado. O ganho da rede de fast food encolheu 23%, para US$ 985,3 milhões, ou US$ 0,87 por ação. Apesar da queda, o resultado superou o previsto.

De volta ao mercado interno, o Ibovespa ganhou rumo quando as ações da Petrobras passaram a operar em alta. Há pouco, o ativo PN subia 2,16%, para R$ 24,11. Os investidores ainda digerem o plano de investimento de US$ 174 bilhões entre 2009 e 2013. Para a Ativa Corretora, tal evento é negativo para o papel, pois o plano se mostra muito ousado em um momento de difícil captação de recursos.

Contribuindo para o ganho do índice, Vale PNA apontava alta de 3,0%, para R$ 27,09. Recuperação também entre os bancos. A boa notícia para o setor veio da Europa. O britânico Barclays anunciou que não precisa de aportes de capital e a seguradora ING recebeu ajuda do governo, que absorveu bilhões em perdas com hipotecas.

Por aqui, o papel PN do Bradesco subia 2,74%, para R$ 21,70, e Itaú PN ganhava 2,06%, para R$ 23,75. Banco do Brasil ON subia 5,26%, para R$ 14,00. Mudança contábil autorizada pelo governo resultará em ganho de R$ 2,52 bilhões para o banco estatal.

De acordo com o assessor de renda variável da Omar Camargo Corretora, Wilson Paese, o investidor deve deixar de observar apenas a instabilidade do dia-a-dia e prestar atenção no preço atrativo dos papéis.

Para Paese, até o final do segundo trimestre o cenário deve estar melhor, com os investidores menos pessimistas, o que abre espaço para uma recuperação no preço dos ativos no médio e longo prazo.

De volta ao âmbito corporativo, depois da disparada de 30% na sexta-feira, o papel ON da TIM ensaiava queda, perdendo 0,57%, para R$ 6,86. A Telco, controladora da Telecom Italia SpA, disse que a necessidade de comprar as ações da TIM no Brasil é infundada e que está procurando consultores legais. Na sexta-feira, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) entendeu que o controle da Telecom Italia SpA mudou com a entrada da Telco, o que exige oferta pública de aquisição (OPA) para os minoritários aqui no Brasil.

Fora do índice, o plano de investimento da Petrobras deu fôlego às ações da Lupatech, que fabrica equipamentos para o setor de óleo e gás. O papel ON subia 9,48%, para R$ 27,37.

No mercado de câmbio, a melhora de humor externo e a menor aversão ao risco seguram o dólar em baixa ante o real. Há pouco, a divisa saía a R$ 2,308 na venda, desvalorização de 1,40%. Os agentes aguardam o resultado do leilão para rolagem de swap cambial com vencimento para fevereiro. O Banco Central ofertou 35 mil contratos em dois vencimentos diferentes.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.