Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa fecha em queda de 1,69%; dólar sobe 0,06%

SÃO PAULO - Com a forte queda dos índices em Nova York minando a confiança do investidor, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a segunda-feira em queda de 1,69%, aos 53.326 pontos, menor nível desde os 52.652,6 pontos de 10 de setembro de 2007.

Redação com agências |


Em agosto, a queda atinge 10,38% e, em 2008, 16,53%. O índice oscilou nesta segunda entre 53.050 pontos (-2,20%) e 54.928 pontos (+1,26%). O giro financeiro foi fraco apesar do vencimento de opções sobre ações e totalizou R$ 4,526 bilhões. Desse total, R$ 794,911 milhões referiram-se ao exercício, que se configurou como o quarto menor do ano.

As Bolsas de Nova York também tiveram perdas firmes: o índice Dow Jones registrou baixa de 1,55%, S&P caiu 1,51% e o Nasdaq recuou 1,45%. O setor financeiro voltou ao foco das preocupações, com os investidores se desfazendo principalmente dos papéis das agências hipotecárias Freddie Mac e Fannie Mae.

Esses papéis abriram o pregão pressionados com notícia veiculada na revista "Barron's" dando conta da possibilidade de o Tesouro americano recapitalizar as agências, o que faria com que as participações dos atuais acionistas perdessem totalmente o valor. À tarde, as perdas foram ampliadas com a decisão do banco Merrill Lynch de rebaixar o preço-alvo calculado para as ações.

Mas o setor financeiro, de modo geral, caiu, também porque o Wall Street Journal informou que o Lehman Brothers poderá perder US$ 1,8 bilhão no trimestre, ainda por causa do crédito de alto risco (subprime), e porque o UBS reduziu suas perspectivas para Goldman Sachs, JPMorgan, Citigroup e Morgan Stanley.

O petróleo em baixa não serviu para ajudar o mercado acionário americano, apenas para afetar negativamente Petrobras. Na Bolsa Mercantil de Nova York, o petróleo recuou 0,79%, para US$ 112,87 por barril. Petrobras ON perdeu 2,87% e PN, 3,03%. A outra blue chip (ação de primeira linha) da Bovespa, Vale, caiu 2,22% a ON e 2,24% a PNA, apesar de o setor ter boas notícias. A mineradora anglo-australiana BHP Billiton anunciou lucro recorde e a também anglo-australiana Rio Tinto fechou acordo com a estatal indiana NMDC para a criação de uma joint venture (associação) que irá procurar e explorar minério de ferro e outros minerais no mundo.

A queda na Bolsa paulista foi generalizada, poupando apenas 14 das 66 ações que compõem o Ibovespa. A maior queda do índice foi registrada por Rossi Residencial ON (-5,86%) e a maior alta, por Cesp PNB (+3,26%).

Segundo um profissional do mercado, apesar de a Bovespa estar em níveis muito atrativos, não está havendo ingresso de recursos novos na ponta compradora. Como a agenda está morna nos próximos dias, o comportamento desta segunda-feira pode se repetir, apesar do nível baixo em que se encontra o Ibovespa.

Dólar

Após operar toda a sessão em queda, o dólar encerrou praticamente estável nesta segunda-feira ao acompanhar a deterioração dos mercados internacionais. A moeda norte-americana fechou com oscilação positiva de 0,06%, a R$ 1,640. No mês, o dólar acumula alta de quase 5%.

Segundo Jorge Knauer, gerente de câmbio do Banco Prosper, no Rio de Janeiro, o dólar "respondeu ao cenário externo". A moeda norte-americana chegou a cair 0,61% durante a manhã, mas novos temores sobre o impacto da crise de crédito norte-americana nas instituições financeiras reverteram a tendência.

Com informações da Reuters e da Agência Estado

Leia mais sobre Bovespa - dólar

Leia tudo sobre: bovespadolar

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG