Tamanho do texto

SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo encerrou o pregão desta terça-feira com uma valorização de 0,36%, com 39.544 pontos, ainda abaixo da marca psicológica dos 40 mil. Os negócios foram marcados pela oscilação do Ibovespa, principal índice do mercado paulista. O giro financeiro ficou em R$ 3,66 bilhões.

Sustentando o ganho do dia, a ação PN da Petrobras subiu 0,84%, para R$ 23,95. O barril de WTI (Petróleo Intermediário do Texas) oscilou entre alta e baixa, mas garantiu fechamento positivo, o primeiro em seis dias.

Também foi registrada uma forte valorização para o ativo PNA da Vale, que ganhou 2,17%, encerrando aos R$ 26,75. Cabe lembrar que esses dois ativos respondem por cerca de 30% do índice.

Segundo o analista-chefe da XP Investimentos, Rossano Oltramari, a queda de 5,2% na sessão de ontem assustou um pouco, mas a correção de alguns preços hoje cria uma leve melhora de sentimento.

No entanto, aponta o especialista, o Ibovespa ganharia uma cara um pouco melhor se garantisse fechamento acima dos 40 mil pontos, patamar testado nas máximas do dia.

Segundo o especialista, está difícil enxergar algum direcionamento para o mercado brasileiro. No curtíssimo prazo, a questão é sustentar os 40 mil pontos, o que cria a possibilidade de novas valorizações.

Quanto à temporada de resultados trimestrais que se aproxima, Oltramari avalia que a grande questão é saber até que ponto as notícias ruins já estão embutidas no preço dos ativos.

De volta ao âmbito corporativo, os bancos caíram forte, com as ações do Bradesco e Itaú liderando as vendas. O Morgan Stanley reduziu a recomendação de compra para os papéis das duas instituições, acreditando em menores margens dada a expectativa de juros menores no mercado interno. Ao final do dia, o papel PN do Bradesco valia R$ 22,36, mostrando queda de 3,86%, e a ação PN do Itaú era negociada a R$ 26,34, com desvalorização de 3,65%.

As siderúrgicas também perderam valor, com os ativos ON da CSN recuando 1,65%, para R$ 33,91, e Gerdau PN caindo 1,98%, a R$ 16,75.

Destaque de alta para as fabricantes de papel e celulose, que concentraram compras no final do dia. Klabin PN subiu 5,79%, para R$ 3,65, e Aracruz PNB ganhou 4,74%, a R$ 2,65.

Ganho de 6,17% para o ativo ON da Redecard, que fechou valendo 25,80. Braskem PNA subiu 5,69%, para R$ 5,94. Cesp PNB, CCR Rodovias ON e Sabesp PN aumentaram mais de 4% cada.

Câmbio

O dólar encerrou a terça-feira com nova valorização ante o real. A moeda norte-americana fechou o dia com um ganho de 1,35%, cotada a R$ 2,327. O pregão foi marcado por um visível aumento das compras após a atuação do Banco Central, que vendeu moeda no mercado à vista a R$ 2,3038.

Na segunda-feira, o dólar encerrou o pregão com uma valorização de 1,06%, cotado a R$ 2,296. 

(Com informações do Valor Online)