SÃO PAULO - O mês de março deve começar de forma negativa para a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Espelhando o ambiente externo, o Ibovespa com vencimento em abril registrava queda de 2,07%, para 37.

800 pontos.

Em Wall Street, o futuro do índice Dow Jones sugere abertura de sessão abaixo da importante marca dos 7 mil pontos. Mais uma vez, o setor financeiro é a principal fonte de incerteza com a seguradora AIG e o HSBC Holdings no foco dos investidores.

Depois de uma série de rumores durante o final de semana, o governo dos EUA anunciou, hoje, um novo plano de ajuda à AIG, que amargou prejuízo de US$ 61,7 bilhões no quarto trimestre do ano passado. A empresa poderá receber US$ 30 bilhões para refazer o caixa. No total, a seguradora já ganhou cerca US$ 150 bilhões do governo.

Em vez de pagar US$ 38 bilhões em dinheiro e juros devidos ao Federal Reserve (Fed), banco central americano, a AIG pagará tal quantia em ações da American International Assurance Co., que tem base na Ásia, e da American Life Insurance, que opera em mais de 50 países.

Já o HSBC anunciou que pretende levantar US$ 17,7 bilhões vendendo ações com desconto para seus atuais acionistas. A medida foi anunciada depois de o banco apontar queda de 70% no lucro de 2008 e cortar os dividendos.

Na agenda de indicadores, atenção para o índice de atividade no setor industrial nos Estados Unidos. Também saem a renda e gasto do americano em janeiro e os gastos com construção.

Na Europa, as vendas já são bastante acentuadas. Com o setor financeiro liderando as perdas, o FTSE-100, da Bolsa de Londres, caía 3,89%, e o Xetra-DAX, de Frankfurt, declinava 2,69%.

Acompanhando o ambiente de maior incerteza o dólar sobe forte ante o real, retomando o patamar de R$ 2,40. Há pouco, a moeda era negociada a R$ 2,421 na venda, avanço de 2,15%.

A divisa americana também ganha sobre os pares europeus. Confirmando também a aversão ao risco o ouro subia e as commodities tinham decréscimo.

A sexta-feira foi mais um dia de forte instabilidade na Bovespa. Depois de oscilar entre ganhos e perdas, o Ibovespa fechou dia praticamente estável aos 38.183 pontos, leve alta de 0,01%. O giro financeiro ficou em R$ 3,81 bilhões.

Na semana passada, o índice caiu 1,37%, fechando o mês de fevereiro com perda de 2,84%. Em 2009, ainda acumulada leve valorização de 1,68%.

Já em Wall Street, o ajuste de preço nas ações do Citigroup, depois que o governo aumentou sua participação na instituição via conversão de ações, e a contração de 6,2% da economia no quarto trimestre garantiram perda de 1,66% para o Dow Jones e baixa de 0,98% para o Nasdaq. O S & P 500 caiu 2,36%, a 735 pontos, patamar não observado em 12 anos.

Na Ásia, a segunda-feira foi de perdas nos principais mercados.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.