Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa descola do mercado externo e passa a subir; dólar avança

SÃO PAULO - Em mais um dia de cautela dos investidores, que seguem atentos a novidades em relação à situação fiscal da Grécia, as bolsas mundiais operam em baixa. No Brasil, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) acompanhou o movimento ao longo de toda manhã, mas inverteu o rumo e passou a operar em alta.

Valor Online |

SÃO PAULO - Em mais um dia de cautela dos investidores, que seguem atentos a novidades em relação à situação fiscal da Grécia, as bolsas mundiais operam em baixa. No Brasil, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) acompanhou o movimento ao longo de toda manhã, mas inverteu o rumo e passou a operar em alta. Por volta das 11h30, o Ibovespa, que atingiu mínima de 70.461 pontos, avançava 0,27%, aos 70.981 pontos, com volume movimentado de R$ 1,424 bilhão. Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), o Ibovespa com vencimento em abril subia 0,17% e somava 71.100 pontos. Em Wall Street, instantes atrás, o Dow Jones tinha baixa de 0,26%, o S & P 500 se desvalorizava em 0,31% e o índice Nasdaq caía 0,42%. Na Europa, as principais bolsas também trabalhavam no vermelho. Pela manhã, conforme o esperado, o Banco Central Europeu (BCE) deixou a taxa de juro da zona do euro em 1%. O comitê de política monetária do Banco da Inglaterra adotou a mesma decisão, ao conservar a taxa de juro em 0,5%. Pesquisa da agência Eurostat ainda mostrou que as vendas no varejo diminuíram 0,6% na zona do euro entre janeiro e fevereiro e ficaram estáveis na União Europeia. Na abertura do ano, o indicador declinou 0,2% e 0,4%, respectivamente. Na comparação com fevereiro de 2009, as vendas no varejo baixaram 1,1% na zona do euro e recuaram 0,7% na União Europeia. Na agenda americana, saíram apenas os pedidos semanais por segundo-desemprego. No cenário corporativo, o menor preço das commodities se reflete no desempenho das " blue chips " . Há pouco, os papéis PNA da Vale recuavam 0,21%, para R$ 50,09, enquanto as ações PN da Petrobras perdiam 0,41%, a R$ 35,65. A estatal informou na noite passada que a perfuração de um novo poço na área de Tupi reforçou as suas estimativas de que a área tem um potencial de 5 a 8 bilhões de barris, com óleo de 25 graus API. Segundo a estatal, o novo poço, denominado 3-BRSA-795-RJS (3-RJS-666), está localizado em lâmina d ? água de 2.131 metros, a cerca de 270 km da costa do Rio de Janeiro e a 12,5 km a nordeste do poço descobridor 1-RJS-628 (1-BRSA-369), conhecido como Tupi. Ainda no setor petrolífero, a OGX Petróleo acusou a presença de hidrocarbonetos em seção do poço 1-OGX-7A-RJS, localizado no bloco BM-C-42 e a aproximadamente 86 km da costa do estado do Rio de Janeiro. Há instantes, as ações ON da OGX Petróleo subiam 0,75%, a R$ 17,35. Entre as principais altas do Ibovespa figuravam os papéis PN da Gol, com valorização de 4,01%, para R$ 23,84, com os agentes refletindo ao dados de tráfego aéreo de março. Além disso, as ações ON da PDG Realty avançam 14,90%, a R$ 3,11, enquanto os papéis PNB da Cesp sobem 2,35%, a R$ 24,36. No sentido oposto, as ações PN da Klabin declinavam 1,57%, a R$ 5,63, enquanto os papéis ON da Natura cediam 1,38%, a R$ 36,27, e as ações PN da NET diminuíam 1,06%, a R$ 22,38. Fora do índice, os papéis da Positivo Informática recuavam, há pouco, 0,53%, a R$ 18,69. A empresa negou ontem que esteja negociando a venda de seu controle para a chinesa Lenovo. Comentários envolvendo as duas companhias têm sido recorrentes no mercado. Além disso, matéria publicada hoje no Valor revelou que a Parmalat conseguiu reduzir, no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), uma multa de R$ 14 bilhões para R$ 12 milhões. A decisão é da 4ª Câmara da 1ª Seção do órgão - última instância administrativa para os contribuintes recorrerem de autuações fiscais. Trata-se do maior auto de infração, que se tem notícia, em relação ao faturamento de uma empresa. A autuação refere-se a 1999, período em que a Parmalat estava em concordata e registrou um faturamento de R$ 1,4 bilhão. A multa, porém, foi lavrada em 2004 motivada pelo pagamento de PIS, Cofins, CSLL e Imposto de Renda. A Laep, controladora da companhia - que em 2005 migrou da concordata para a recuperação judicial - vinha enfrentando problemas práticos em razão da discussão, como dificuldades na negociação de bens e obtenção de empréstimos bancários. Há pouco, os recibos de ações da Laep disparavam 10,48%, a R$ 1,58. No mercado de câmbio, a moeda americana segue operando em alta não só contra o real, mas também em relação à libra e ao euro. Minutos atrás, o dólar comercial subia 0,50%, para R$ 1,787 na venda, enquanto o contrato futuro avançava 0,24%, a R$ 1,794. (Beatriz Cutait | Valor)
Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG