Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa declina 0,67%; dólar reverte e cede 0,08%, a R$ 2,357

SÃO PAULO - Seguindo a sinalização proveniente do mercado externo, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) começa a sexta-feira em baixa, mas luta para manter o nível de 39 mil pontos. Com cerca de meia hora de pregão, o Ibovespa recuava 0,67%, aos 39.

Valor Online |

270 pontos, com giro financeiro em R$ 273 milhões, depois de cair a 39.018 pontos logo após a abertura.

O sinal negativo vem do mercado externo, onde os investidores mantêm a cautela à espera de uma solução para as montadoras. Segundo o Wall Street Journal (WSJ), um projeto de ajuda inicial ao setor pode sair ainda hoje.

Para o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Henry Paulson, um " processo de falência ordenado " parece ser a melhor solução para as companhias. A idéia inicial do governo era dar uma linha emergencial de crédito às montadoras.

No câmbio, depois de uma disparada de 4,7% no começo do pregão, que puxou o dólar para R$ 2,471, as compras perderam força e a divisa apresentava instantes atrás leve queda, de 0,08%, a R$ 2,357 na venda.

A apreciação estava relacionada ao aumento de preço do dólar no mercado externo, notícias de remessas, e à determinação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que obriga as empresas a detalhar suas exposições a instrumentos financeiros (derivativos ou não). Segundo operadores, algumas empresas teriam buscado zerar suas posições para tirar os derivativos do balanço. Tal movimentação ficou evidente no mercado futuro no fim da quinta-feira.

De volta à Bovespa, o papel PN da Petrobras tem mais um dia de queda acentuada. Há pouco, o papel valia 2,25% menos, negociado a R$ 22,97. A ação acompanha o movimento do preço do petróleo.

Perda também para a ação PNA da Vale, que saía a R$ 24,90, queda de 1,61%. As siderúrgicas devolvem os ganhos de ontem. Usiminas PNA cedia 2,09%, a R$ 28,00, e CSN ON desvalorizava 2,64%, saindo a R$ 31,25.

Os bancos verificavam leve alta, com a ação PN do Itaú subindo 0,33%, a R$ 30,00. Bradesco PN valorizava 0,77%, negociado a R$ 25,90.

Destaque de alta para o setor de telecomunicações. A compra da Brasil Telecom pela Oi/Telemar foi finalmente aprovada. Refletindo isso, o papel PN da Brasil Telecom SA ganhava 10,22%, a R$ 16,81. Brasil Telecom Part PN subia 5,20%, a R$ 21,61, e Telemar Norte Leste PNA aumentava 5,39%, para R$ 66,40.

(Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG