Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa começa pregão em alta; dólar cai

A Bolsa de Valores de SP abriu o pregão desta quinta-feira com alta de 1,67%, aos 50.676 pontos, seguindo a tendência registrada nas Bolsas da Europa. Já a moeda norte-americana, por volta de 10h15, acumulava queda de 0,70%, cotada a R$ 1,838. A maioria dos mercados asiáticos fechou em queda e o dólar caiu ante moedas importantes.

Redação com agências internacionais |

 

Acordo Ortográfico As principais Bolsas europeias iniciaram a quinta-feira equilibradas, com muita prudência ante os atrasos na aprovação do plano de resgate do setor financeiro americano.O índice FTSE-100 de Londres perdia 0,13% na abertura, enquanto em Frankfurt, índice Dax ganhava 0,08%. Em Paris, o CAC 40 perdia 0,04%.

Ásia

Os negócios foram pressionados por dúvidas quanto ao plano de resgate do setor financeiro elaborado pelo governo norte-americano e orçado em 700 bilhões de dólares e por temores sobre as conseqüências econômicas da crise.

"O resgate oferece alguma folga para o setor financeiro, mas faz pouco para mudar a perspectiva econômica, a qual continua a se deteriorar", disse Dwyfor Evans, estrategista de moeda do State Street Global Markets em Hong Kong.

A aposta de US$ 5 bilhões de Warren Buffett no Goldman Sachs e as novas linhas de troca de moeda do Federal Reserve com mais bancos centrais ajudou a reestabelecer certa confiança do investidor no dólar, mas o interesse de compra ainda era limitado por preocupações quanto à economia dos Estados Unidos, disseram analistas.

Um pronunciamento sobre a perspectiva econômica dos EUA, feito pelo presidente do Fed, Ben Bernanke, na quarta-feira, transmitiu a idéia de que o banco central norte-americano reduzirá a taxa de juro novamente até o fim do ano.

O banco central da Austrália injetou capital extra no mercado aberto local novamente, o Banco do Japão tornou disponível aproximadamente US$ 30 bilhões na primeira operação de fornecimento de dólar já feita no país, e o banco central da China deixou as taxas de suas operações de compulsório cair novamente, efetivamente relaxando mais sua política monetária. O banco central de Hong Kong também injetou fundos no mercado.

O índice MSCI, que reúne os principais mercados da Ásia com exceção do Japão, recuava 0,82%, apesar de ter ficado bem acima do menor patamar em dois anos na última quinta-feira.

Tóquio fechou em baixa de 0,9%, a 12.006 pontos. Xangai foi na contra-mão e disparou quase 4%, influenciada pela recompra de ações por empresas estatais e esperanças de reforma no mercado, o que também serviu de apoio à bolsa de Hong Kong, que teve queda contida de 0,15%.

(Com Reuters e AFP)

 

Serviço 

 

Mais notícias

 

Para saber mais

 

Opinião

 

Leia mais sobre Bolsas de Valores

Leia tudo sobre: bolsas de valorescrise financeira

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG