Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa cai mais de 3% e segue bolsas européias

O corte agressivo na taxa básica de juros anunciado pelo banco central da Inglaterra nesta manhã, de 1,5 ponto porcentual, trazendo a taxa para 3% ao ano - a maioria dos analistas esperava uma redução de 0,50 ponto porcentual - surpreendeu o mundo e trouxe um alívio momentâneo às bolsas européias, mas sem conseguir desviá-las do terreno negativo. As bolsas, que haviam diminuído bastante a perda logo após a decisão do BC inglês, voltaram a reforçar o sinal de baixa depois que o Banco Central Europeu (BCE) confirmou as expectativas e baixou o juro em 0,50 ponto porcentual, para 3,25% ao ano, nos 15 países quem compõem a zona do euro.

Agência Estado |

A decisão parece ter decepcionado o mercado na seqüência da ação agressiva do BC da Inglaterra.

O índice Bovespa à vista registrava logo após a abertura do pregão queda de mais de 3%, voltando ao patamar dos 36 mil pontos. No exterior, a Bolsa de Londres e de Paris cediam 3,12% e 3,48%, respectivamente, e a de Frankfurt recuava 4,07%. Em Nova York, o índice futuro S&P 500 caía 3,18% e o Nasdaq futuro recuava 1,85%. O pregão regular da Bolsa de Nova York começa às 12h30 (de Brasília). Às 11h15, o Ibovespa operava em baixa de 2,82%, logo após ter recuado à mínima de 3,27% a 36.548 pontos.

Um corte de juro dessa magnitude na Inglaterra mostra a disposição da autoridade monetária de encurtar a recessão que está batendo às portas do país. O diretor da Ágora Corretora, Álvaro Bandeira, chama atenção ainda para o fato de que o Reino Unido tinha uma das taxas de juros mais elevadas (4,5% ao ano) entre os países desenvolvidos.

Além de estar sob o efeito dessas decisões de política monetária, a expectativa com a divulgação do relatório de emprego nos Estados Unidos amanhã deve manter o mercado financeiro na defensiva. Além disso, os preços das matérias-primas (commodities) seguem em baixa esta manhã, o que aumenta a tração negativa. As ações preferenciais (PN) da Petrobras caíam 2,10% às 11h19. Vale PNA recuava 3,14%.

Ontem, o Ibovespa foi contaminado pelo mau humor externo e caiu 6,3%, devolvendo quase todo o ganho alcançado no início do mês até o fechamento de terça-feira (8%). Mas para Bandeira, essa queda do mercado de ações é pontual. "Os preços já estão bem ajustados e o mercado deve se recuperar em seguida", avalia.

O setor bancário, que ontem teve uma forte realização de lucros, segue na berlinda. Ontem, o governador de São Paulo, José Serra, se reuniu em Brasília com o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, nessa reunião teria sido definido em R$ 6,4 bilhões o preço básico da venda da Nossa Caixa para o Banco do Brasil. Agora, faltaria apenas o aval do presidente Lula. Oficialmente, Serra disse, após a reunião, que não havia uma conclusão final sobre o preço de venda. As ações ordinárias (ON) do Banco do Brasil registravam desvalorização de 6,23% no início do pregão hoje na Bovespa. Unibanco units caía 6,08% e Itaú PN recuava 5,44%.

Nesta manhã, o Unibanco informou lucro líquido de R$ 704 milhões no terceiro trimestre deste ano, queda de 41,3% em relação ao lucro de R$ 1,199 bilhão no mesmo período do ano passado, conforme os dados do balanço auditado que foi divulgado hoje pela instituição. O lucro recorrente, que exclui efeitos extraordinários sobre o resultado, também ficou em R$ 704 milhões de julho a setembro de 2008.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG