Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa cai 7,34% com sinais de recessão nos EUA

Faltou pouco para que a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) acionasse o circuit breaker e suspendesse as operações nesta quinta-feira, em meio à nova onda de nervosismo nos mercados internacionais. Na mínima do dia, no início da tarde, o índice Bovespa chegou a cair 9,41%, aos 45.

Agência Estado |

113 pontos - o circuit breaker é acionado quando o índice cai 10%. No encerramento do pregão, contudo, o Ibovespa registrou queda de 7,34%, aos 46.145,10 pontos. Na máxima, chegou a operar ligeiramente no azul, em alta de 0,01% (49.805 pontos). O volume financeiro somou R$ 5,59 bilhões (dado preliminar). Com a queda de hoje, o Ibovespa acumula neste ano perda de 27,77%.

A divulgação de indicadores de conjuntura revelando a fraqueza da economia norte-americana elevou ainda mais os temores de que a recessão nos Estados Unidos é inevitável e que nem o pacote de socorro ao setor financeiro aprovado no Senado ontem, ainda que passe na Câmara, será capaz de evitar isso. Não são poucos os economistas que já definem esta como a pior fase da crise, porque além de afetar a confiança dos investidores também já se reflete na economia real, o que contamina outros ativos financeiros que ainda não estavam sofrendo. "Aí, não há US$ 700 bilhões que segurem. É depressão mesmo", disse uma fonte.

Ontem à noite, o Senado dos EUA aprovou por 74 votos a favor e 25 contra o pacote de US$ 700 bilhões de ajuda às instituições financeiras, na maior intervenção financeira do governo desde a Grande Depressão, em 1929. Para ampliar o apoio à proposta, a versão aprovada incluiu vários acréscimos ao plano negociado no último final de semana, entre eles um total de US$ 152 bilhões em isenções de impostos não relacionadas à crise até a criação de instrumentos para os órgãos reguladores do sistema financeiro enfrentarem a conjuntura, além de outras concessões a vários congressistas.

As atenções estão agora concentradas na votação de amanhã, na Câmara dos Representantes dos EUA. Há expectativa de que, após as modificações, o projeto também seja aprovado pelos deputados (que na segunda-feira passada rejeitaram a proposta original). O horário da votação não foi marcado, mas um assessor da liderança do Partido Democrata disse que ela deverá acontecer entre 13h30 e 14 horas (de Brasília).

A aprovação do pacote de socorro no Senado americano trouxe alívio, mas a reação nas bolsas ao redor do mundo foi limitada. No caso dos EUA, uma elevação expressiva e inesperada nos pedidos semanais de seguro-desemprego, na véspera da divulgação do relatório do mercado de trabalho norte-americano, minou os humores. O dado não veio sozinho: as encomendas à indústria norte-americana mostraram uma queda acima do esperado em agosto, azedando o humor dos participantes do mercado.

Em Nova York, o Dow Jones caiu 3,22%, aos 10.482,85 pontos; o S&P-500 recuou 4,03%, aos 1.114,28 pontos; e o Nasdaq cedeu 4,48%, aos 1.976,72 pontos.

A queda forte dos preços das matérias-primas (commodities) - justamente em razão de um cenário de desaquecimento econômico global - complicou mais a situação do Ibovespa, que tem como carro-chefe ações de empresas atreladas a esses produtos. Diante da baixa de 4,63% no contrato de petróleo para novembro em Nova York, para US$ 93,97 por barril, as ações preferenciais (PN) da Petrobras terminaram o dia com desvalorização de 8,02% e as ordinárias recuaram 6,56%. A desvalorização dos metais também afetou as ações da outra blue chip: Vale PNA cedeu 10,09% e Vale ON caiu 10,55%.

Segundo participantes do mercado, parte da baixa expressiva de hoje pode estar relacionada a liquidações compulsórias de posições a termo de clientes pessoa física que não têm conseguido cobrir margens adicionais exigidas pelas corretoras. "Em um dia de pânico como o de hoje, isso pode ter acontecido", avaliou o gerente de renda variável de uma corretora no Rio de Janeiro. Diante da volatilidade do mercado, algumas corretoras vêm elevando a margem de garantia para alguns clientes muito alavancados (com aplicações que superam o patrimônio).

De acordo com o gestor, o fato de o Ibovespa à vista ter rompido alguns suportes, na faixa dos 47.600 pontos e 46.000 pontos, também deflagrou ordens de "stop loss" (prevenção de prejuízo) no índice futuro negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), ampliando a pressão nas operações à vista, principalmente no início da tarde. Esse movimento, aliás, quase levou a Bolsa a acionar o circuit breaker - como na última segunda-feira. O mecanismo é utilizado pela Bovespa e permite, na ocorrência de movimentos bruscos de mercado, o amortecimento e o rebalanceamento das ordens de compra e de venda.

No encerramento, as maiores quedas do Ibovespa foram registradas por Cesp PNB (-18,22%), Lojas Renner ON (-16,04%) e Gafisa ON (-12,57%). Apenas três ações do índice encerraram no azul: TIM Participações ON, com elevação de 0,56%; Sabesp ON, com acréscimo de 0,37%, e Comgás PNA, com alta de 0,35%.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG