Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa cai 6,91% e acumula perda de 50% no ano; dólar sobe

A Bovespa voltou a ser fortemente afetada nesta sexta-feira pela significativa deterioração dos mercados financeiros globais, em meio a uma nova onda de apreensão com o rumo da economia mundial. Diante do forte processo de venda de ações ao redor do mundo, os papéis brasileiros não escaparam da queda. O Ibovespa - principal índice de ações brasileiro - encerrou o dia em baixa de 6,91%, aos 31.481,55 pontos - o menor patamar desde o fechamento do dia 25 de novembro de 2005 (31.357,55). Já o dólar fechou cotado a R$ 2,327 com alta de 1%, após seguidas intervenções do Banco Central.

Redação com agências |

A valorização desta sexta-feira ampliou os ganhos do dólar comercial para 10,02% na semana, para 22,34% no mês e para 31,10% no ano.

Durante o dia, a Bovespa oscilou da mínima de 30.788 pontos (-8,96%) à máxima de 33.809 pontos (-0,03%). O volume financeiro totalizou R$ 4,472 bilhões (preliminar). Na semana, o Ibovespa acumulou uma perda de 13,50%. No mês, a queda alcança 36,45% e no ano, 50,72%.

iG

Pesou sobre as ações da Petrobras a queda superior a 5% nos preços do petróleo, apesar do anúncio da Opep, de que cortará a produção do óleo em 1,5 milhão de barris por dia a partir de 1º de novembro. Na Nymex, o contrato para dezembro de petróleo encerrou em baixa de 5,44%, a US$ 64,15. Diante disso, as preferenciais da Petrobras recuaram 10,13% e as ordinárias, 10,19%.
 
Mas a ação que concentrou as atenções do mercado hoje foi a Unit do Unibanco, papel que liderou as quedas do Ibovespa em parte do dia. O banco antecipou hoje a apresentação do seu resultado no terceiro trimestre do ano, em que registrou lucro líquido recorrente de R$ 704 milhões no período (não auditado), um aumento de 5,6% sobre igual intervalo de 2007.

Em resposta à queda da ação, o Conselho de Administração do Unibanco dobrou o limite de ações que podem ser adquiridas no âmbito do programa de recompra de ações aprovado em 13 de fevereiro deste ano. O programa passa a ser de até 40 milhões de Units. Assim, no fechamento, a ação registrou queda de 8,70%, após cair 22,43% na mínima do dia. O volume com o papel representou o terceiro maior da bolsa, com R$ 438,861 milhões, atrás apenas de Petrobras PN (R$ 835,006 milhões) e Vale PNA (R$ 673,818 milhões).
 
Ainda entre as ações do setor listadas no Ibovespa, Itaú PN caiu 10,67%, Bradesco PN -7,36% e Banco do Brasil -2,60%. O clima adverso no ambiente acionário global ofuscou os resultados recordes apresentados ontem, após o fechamento do mercado, pela Vale. 

O cenário gráfico para o Ibovespa não ajuda a melhor o ânimo dos investidores antes do fim de semana. Analistas da Lopes Filho apontaram que a análise do gráfico diário do Ibovespa indica maiores possibilidades de continuação da trajetória baixista até os 28 mil pontos ou 27 mil pontos.

Bolsas de Nova York

Em Wall Street, pela primeira vez em pelo menos cinco anos, os índices futuros de ações tiveram suas operações interrompidas após atingirem o limite diário de queda. A paralisação ocorreu logo cedo, por volta das 8h (de Brasília), com o Nasdaq em baixa de 6,76% e o S&P-500 em queda de 6,56%.

iG

O Dow Jones futuro foi congelado em queda de 6,3%. No fechamento do dia, no mercado à vista, o Dow registrou queda de 3,59%, aos 8.378,95 pontos; o S&P-500 caiu 3,45%, aos 876,77 pontos; e o Nasdaq Composite cedeu 3,23%, aos 1.552,03 pontos. Informação do Wall Street Journal de que o Departamento do Tesouro está considerando comprar participações acionárias nas companhias de seguro ajudou a "reduzir" as perdas.

Dólar

Na semana, o Banco Central (BC) se esforçou para interromper a escalada do dólar, que subiu mais de 12% entre segunda e quarta-feira, atuando no mercado de câmbio. Além de leilões de dólar à vista, a autoridade monetária anunciou programa de venda de swap cambial que pode chegar a US$ 50 bilhões.

iG


Mercado doméstico

No Brasil, a grande novidade da semana foi a edição da MP 443, que permite a bancos estatais como o Banco do Brasil e a Caixa comprarem parte de bancos comerciais menores, na tentativa de dar liquidez ao mercado e prevenir um alastramento da crise. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, porém, garantiu que não existem bancos quebrando no País.

Mesmo depois de o principal índice da bolsa paulista ter encolhido mais de 14% na segunda, terça e quarta-feira, os investidores continuam na ponta vendedora de papéis, à medida que se multiplica sinais de recessão global.

Analistas gráficos avaliam que o Ibovespa pode voltar aos 27 mil ou 28 mil pontos, mas já há quem não descarte a possibilidade de o Ibovespa à vista descer até os 22 mil pontos ¿ mesmo com os dados positivos da Vale, que registrou lucro líquido de R$ 12,433 bilhões no terceiro trimestre, crescimento de 166,9% sobre o mesmo período do ano passado. 

Swap cambial

Swap cambial é um tipo de contrato no qual uma das partes é remunerada pela variação do dólar e a outra parte, pela variação da taxa de juros, no mesmo intervalo de tempo. Por exemplo: um banco adquire hoje o direito de receber, em 31 de dezembro, R$ 2 milhões corrigidos pela variação do dólar nesse intervalo. Se o dólar valorizar 10%, a instituição recebe R$ 2,2 milhões do Banco Central.

Em contrapartida, o BC é remunerado pela variação da taxa de juros de mercado (CDI) no período. Se a variação foi de 5%, o BC receberia R$ 2,1 milhões. O resultado líquido dessa operação é de R$ 100 mil favoráveis à instituição financeira.

A intenção de quem compra o contrato do BC é se proteger contra uma eventual alta do dólar. Quando o real se valorizava quase ininterruptamente, o BC promovia um leilão contrário, batizado de swap reverso. Segundo o especialista, o BC tinha posição comprada em swaps cambiais equivalente a US$ 22 bilhões - ou seja, o BC recebia a variação do dólar e pagava a variação do juro.

Reino Unido

O Reino Unido anunciou que o PIB do terceiro trimestre caiu 0,5% ante o segundo trimestre, a primeira contração da economia na margem desde a registrada no segundo trimestre de 1992 e a maior queda desde a do quarto trimestre de 1990. O PMI da zona do euro, que mede a produção total do setor privado, caiu para 44,6 em outubro, o menor nível da série, que começou em maio de 1998.

* Com informações do Valor Online e da Agência Estado

Mais notícias

 

Para saber mais

 

Serviço 

 

Opinião

 

Leia mais sobre: mercado financeiro

Leia tudo sobre: bovespadolar

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG