Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa cai 1,77%, de olho nos EUA e em commodities

O índice Bovespa abriu o pregão de hoje em baixa e perdia 1,77% a 56.418 pontos, às 10h18, na mínima do dia até este horário.

Agência Estado |

No último dia da semana o foco dos investidores está voltado para os Estados Unidos, por causa da divulgação de indicadores econômicos, e também no comportamento dos preços das matérias-primas (commodities). Ontem a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) caiu para o menor nível desde 23 de janeiro deste ano, fechando em queda de 3,34% aos 57.434,4 pontos.

O cenário pessimista no exterior pode, segundo analistas, ser resumido pelo fato de que pela primeira vez desde os anos 70, os preços de commodities e do petróleo estão próximos dos patamares recordes, ao mesmo tempo em que a economia dos EUA aparenta estar em recessão. Para alguns profissionais, o preço das commodities já atingiu o pico e agora é o momento de desacelerar. A acomodação do preço das commodities em patamares mais baixos pode prejudicar o desempenho das ações de empresas que se valeram do ciclo de alta dos metais, petróleo e grãos para se expandir. Nessa linha de pensamento, Petrobras, Vale e siderúrgicas, que cresceram no Brasil e intensificaram presença no mercado internacional, podem ter suas ações ainda mais influenciadas pela volatilidade do mercado.

As ações preferenciais (PN) da Petrobras abriram os negócios em baixa e desvalorizavam 1,91%, a R$ 33,84; as ordinárias (ON) perdiam 1,84% a R$ 41,10. Vale PNA registrava queda de 3,03% a R$ 36,85, às 10h18.

O mercado europeu também repercute hoje o clima negativo de ontem em Wall Street e o noticiário local, o que resulta em perdas nas ações. Na Europa, a perda mais expressiva é sentida na Bolsa de Frankfurt, que ecoa o alerta inesperado da resseguradora Munich RE sobre seu resultado. Às 10h18, a Bolsa de Londres caía 0,57%, a de Paris cedia 0,01% e a Bolsa de Frankfurt recuava 0,80%.

Os preços do petróleo no mercado futuro estão em queda nesta manhã. No pregão eletrônico da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), o contrato com vencimento em setembro tinha o barril de petróleo leve cotado a US$ 124,00, baixa de 1,20%.

"Se não tivermos notícias ruins, a Bolsa pode se recuperar hoje. Mas não acredito que haja uma forte recuperação, não há motivos para isso, não há entrada grande de dinheiro", disse um operador. Às 10h13, em Nova York, o índice futuro Nasdaq ganhava 0,58%, enquanto o S&P-500 futuro tinha alta de 0,18%.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG