SÃO PAULO - A quinta-feira começa de forma negativa para a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Replicando o sinal externo, por volta das 11h45, o Ibovespa perdia 1,03%, aos 40.

424 pontos, com giro financeiro em R$ 378 milhões.

Além do pessimismo externo, onde os investidores se dão conta de que, mesmo com a aprovação dos pacotes de ajuda nos EUA, os problemas persistirão por algum tempo, a baixa no preço das commodities também prejudica os negócios por aqui.

O humor não melhorou mesmo depois que as vendas no varejo dos EUA surpreenderam apontando alta de 1% em janeiro. A previsão era de queda de 0,4%. Essa foi primeira elevação em sete meses e a maior desde novembro de 2007. Também foram apresentados os pedidos por seguro-desemprego, que caíram em 8 mil na semana passada, somando 623 mil requisições.

No câmbio, a instabilidade é acentuada, com o dólar voltando a operar em baixa depois de testar os R$ 2,30. Há pouco, o dólar comercial era negociado a R$ 2,282 na venda, decréscimo de 0,34%.

Hoje, o Banco Central (BC) realiza leilão para rolagem dos swaps que vencem em março. Serão ofertados 51 mil contratos em dois vencimentos diferentes.

Dentro do Ibovespa, segue o desmanche de posições nos papéis de empresas ligadas a commodities. Petrobras PN desvalorizava 0,96%, para R$ 26,64, e Vale PNA recuava 1,94%, a R$ 29,70.

Com o terceiro maior volume, CSN ON apontava queda de 1,74%, a R$ 36,14, Usiminas PNA desvalorizava 1,98%, a R$ 28,10, e Gerdau PN perdia 1,82%, valendo R$ 15,63.

Os bancos também tinham queda. Bradesco PN caía 0,62%, para R$ 22,30 e Itaú PN valia 0,80% menos, negociado a R$ 24,50.

Na ponta compradora, destaque para as construtoras - Gafisa ON subia 2,78%, a R$ 12,54, e Cyrela ON valorizava 0,83%, a R$ 9,63. Fora do índice, Abyara ON disparava 16,75%, a R$ 2,29, em meio a rumores de compra.

Ainda refletindo as notícias de retomada na privatização, Cesp PNB subia 3,24%, a R$ 14,31.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.