SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) segue operando em forte alta, impulsionada pela melhora de sentimento proporcionada pelo resgate do Citigroup. Por volta das 12h50, o Ibovespa tinha valorização de 6,38%, aos 33.

244 pontos, com giro financeiro em R$ 825 milhões.

O dia também é de ganhos expressivos nos EUA, da ordem de 1%, e na Europa, onde os avanços são mais marcados, de mais de 4%.

Mais uma vez o governo dos EUA teve que intervir para conter a crescente desconfiança que derrubava os mercados e na semana passada envolvia o Citigroup. Utilizando recursos do plano de US$ 700 bilhões, o governo injetará US$ 20 bilhões no Citi e garantirá bilhões de dólares em ativos de risco que estão na carteira do banco.

A melhora de humor externo também tem influência na formação do preço do dólar. Depois de cinco pregões seguidos de apreciação e preços recordes em mais de três anos, a moeda passa por ajuste de baixa. Há pouco, o dólar era negociado a R$ 2,370 na venda, declínio de 3,58%.

A gestora de renda variável da Mercatto Investimentos, Daniella Marques, comenta que a bolsa brasileira acompanha o sinal externo e também se beneficia da valorização no preço das commodities, em especial do petróleo e dos metais.

Ela também lembra que, na sexta-feira, em função da diferença de horário, o Ibovespa não seguiu a retomada das compras em Wall Street, que resultou em valorização de mais de 6% para o Dow Jones; Portanto, já havia algum espaço para uma recuperação de preço.

Daniella observa ainda que os investidores têm reagido de forma positiva às indicações de governo do novo presidente dos EUA, Barack Obama. Na sexta-feira da semana passada, alguns nomes foram apresentados e bem recebidos, como o do presidente do Fed de Nova York, Timothy Geithner, para a secretaria do Tesouro. Alguns nomes devem ser confirmados oficialmente ainda hoje.

Voltando o foco ao mercado interno, a gestora afirma que a alocação de investimentos na Bovespa deve ser bastante seletiva. Existem empresas com preços atrativos, mas algumas companhias, principalmente as intensivas em uso de capital, estão passando por dificuldade.

Acompanhando as commodities, os carros-chefe do Ibovespa ganhavam valor. Petrobras PN apresentava alta de 6,98%, a R$ 18,07. Vale PNA ganhava 6,74%, para R$ 22,15, e Usiminas PNA valorizava 6,57%, a R$ 20,41.

Os bancos também recuperam valor depois das acentuadas perdas da semana passada. Itaú PN aumentava 10,30%, negociado a R$ 22,47. Bradesco PN subia 6,29%, para R$ 20,61, e Banco do Brasil ON aumentava 6,66%, a R$ 12,17. Com o terceiro maior volume de negociação, o papel ON da Nossa Caixa ganhava 1,26%, negociado a R$ 63,80. A estatal paulista foi comprada pelo BB na semana passada por R$ 5,4 bilhões.

Apenas 2 dos 66 papéis que compõem o índice apresentavam queda. Eletropaulo PNB, perdia 2,70%, para R$ 26,66. O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu decisão judicial que liberou pagamento de R$ 360 milhões em dividendos. O papel PN da AmBev caía 0,25%, saindo a R$ 105,03.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.