SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registra instabilidade neste começo de terça-feira. Depois da abertura em território negativo, com cerca de meia hora de pregão o Ibovespa apontava alta de 0,43%, para 38.

675 pontos, com giro financeiro em R$ 117 milhões.

A sinalização proveniente do mercado externo é díspar. Enquanto os futuros em Wall Street sugerem abertura em alta apesar de fracos resultados trimestrais, os índices europeus seguem em baixa, com bancos e empresas de commodities puxando as perdas. Em Londres, o FTSE-100, caía 0,93%, enquanto em Frankfurt, o Xetra-DAX perdia 0,44%.

A formação da taxa de câmbio segue instável, com o dólar enfrentando forte resistência no patamar de R$ 2,30. Há pouco, a divisa perdia 0,08%, para R$ 2,308, depois de bater R$ 2,301 na mínima.

Garantindo os ganhos dentro do Ibovespa, Petrobras PN subia 0,46%, a R$ 23,90, e Vale PNA avançava 0,03%, a R$ 26,96.

Os bancos apontam para cima, com Bradesco PN subindo 0,70%, a R$ 21,30, e Itaú PN ganhando 0,82%, a R$ 23,31. Entre as siderúrgicas, Usiminas PNA aumentava 0,54%, a R$ 27,63, e CSN ON valorizava 0,74%, a R$ 35,25.

Na ponta vendedora, Natura ON caía 1,87%, para R$ 20,90, América Latina Logística unit perdia 1,79%, a R$ 8,74, e Copel PNB recuava 1,07%, a R$ 22,10.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.