Uma onda de boas notícias vindas do exterior anulou o noticiário que seria potencialmente negativo para a performance de importantes papéis negociados na Bolsa brasileira e impulsiona o índice Bovespa, que opera em alta acentuada, embalado principalmente pelas blue chips e pelo setor siderúrgico. Por volta das 12h50, o índice subia 6,28%, aos 37.

567 pontos.

Embora ainda estejam receosos de tratar os ganhos desta segunda-feira como sinal de alguma tendência de recuperação no mercado acionário, os operadores apontam que a Bolsa pode estar iniciando o tradicional rali de alta que marca o final do ano. "Pode ser cedo para afirmar isso, mas a perda no ano é muito grande ainda e isso abre espaço para um rali neste mês", comentou um operador.

O forte desconto no preço das ações e a presença marcante de "papéis baratos", segundo os profissionais, também podem estimular compras neste final de ano. É o caso de Vale, conforme um profissional. Hoje, as ações ordinárias (ON) da mineradora sobem 8,20% e as preferenciais classe A (PNA) ganham 6,84%, ambas com desempenho superior ao do Ibovespa, apesar da notícia de que a companhia vai cortar a produção de pelotas em duas unidades no Espírito Santo. "Como a ação está muito barata e os metais estão subindo, a notícia de corte de produção não conseguiu fazer preço", comentou.

Na Comex, divisão de metais da Bolsa Mercantil de Nova York, o contrato de cobre com entrega para março ganhava 8,66%. "Os mercados de metais estavam muito vendidos e uma recuperação era esperada por causa da aproximação do final do ano", comentou um corretor baseado em Londres à agência Dow Jones.

Como pano de fundo para a recuperação das commodities metálicas estão a fala do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, de que prepara um plano que deve gerar 2,5 milhões de empregos no país e a expectativa em relação a um novo pacote bilionário de estímulo à economia chinesa, o que ajudaria a manter o preço dos metais em trajetória de alta tendo em vista o tamanho da demanda da China. Além disso, a possibilidade de que o pacote de ajuda às montadoras norte-americanas, de US$ 15 bilhões, possa ser aprovado entre hoje e amanhã também dá fôlego aos mercados.

Conforme o economista da Infra Asset, Fausto Gouveia, a notícia favorece especialmente os papéis de siderurgia, que dão contribuição significativa para a forte alta do Ibovespa. "Há uma forte correlação entre indústria automotiva e os preços do aço", explicou. Gerdau PN subia 8,87%, Metalúrgica Gerdau PN ganhava 7,85%, Usiminas ON avançava 6,76%, Usiminas PNA exibia alta de 7,70% e CSN ON, +6,35%.

Outra blue chip, Petrobras também exibe ganhos elevados nesta sessão, frente à recuperação dos preços do petróleo. Petrobras ON ganhava 8,88% e Petrobras PN, +8,76%. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), o barril com entrega para janeiro subia quase 7%, acima de US$ 43. O óleo reage à sinalização da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de que haverá, ainda neste mês, um corte "severo" na produção do cartel.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.