Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bovespa abre em baixa e monitora mercado externo

O índice Bovespa, principal referência da negociação de ações na Bolsa de Valores de São Paulo, abriu o pregão regular de hoje em baixa. Às 11h07, o Ibovespa cedia 0,23% a 36.

Agência Estado |

131 pontos. A Bolsa brasileira repete o sinal negativo do mercado internacional, influenciada também pelo declínio nas cotações das matérias-primas (commodities).

Os investidores norte-americanos voltaram desanimados do feriado de Ação de Graças nesse último pregão de novembro, que deve ser marcado novamente pela liquidez reduzida. Por causa do feriado de ontem, nenhum indicador sai hoje nos EUA e alguns mercados fecham mais cedo, como o de ações e de títulos do Tesouro americano (Treasuries). Às 11h03, o Nasdaq futuro cedia 1,17% e o S&P 500 futuro recuava 1,07%. O pregão regular em Nova York começa às 12h30 (de Brasília).

As notícias vindas do exterior continuam mostrando forte deterioração da economia. Na zona do euro, dados divulgados nesta manhã mostraram que a inflação teve queda recorde em novembro, para 2,1% (em base anual), e a taxa de desemprego subiu para 7,7%, o que fez crescer a expectativa de um corte agressivo de juro na reunião do Banco Central Europeu (BCE) da próxima quinta-feira.

Na Rússia, o banco central elevou uma série de taxas de juro em 1 ponto porcentual, na tentativa de combater a crescente saída de capital do país e as pressões inflacionárias.

A retomada dos negócios com ADRs (recibos de ações) em Nova York pode ser um teste importante para as ações da Petrobras, que ontem dominaram a cena por causa da notícia sobre o empréstimo de R$ 2 bilhões feito à estatal pela Caixa Econômica Federal. As ações preferenciais (PN) de Petrobras fecharam em queda de 2,48% as ordinárias (ON) declinaram 2,78%, mas em meio a um volume minguado de negócios. A Bovespa movimentou apenas R$ 1,739 bilhão. Hoje, às 11h05, Petrobras PN caía 0,65% e ON cedia 0,51%.

A expectativa é de que o movimento melhore um pouco na Bolsa brasileira. "Mas hoje não é 'proxy' para nada. A participação dos investidores estrangeiros deve ser um pouco mais ativa do que na véspera, porém longe de ser um mercado normalizado", afirma a gestora de renda variável da Mercatto Investimentos, Daniella Marques.

No lado macroeconômico, o destaque do dia no mercado doméstico é o Índice de Confiança da Indústria, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), que caiu 19,4% em novembro ante outubro, após registrar queda de 9,2% no mês passado (dado revisado), refletindo o pessimismo dos empresários em relação ao futuro.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG