Tamanho do texto

A quarta-feira da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) começa sem notícias negativas e com os investidores propensos a assumir riscos, o que pode levar a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) a testar os 71 mil pontos no intraday, mantido o clima positivo no exterior. No entanto, a expectativa é de um volume mais fraco especialmente no período da tarde por conta da expectativa em relação ao Copom.

Às 10h12, o índice Ibovespa subia 0,67%, aos 70.407 pontos.

Qualquer que seja a decisão do Banco Central no encontro de hoje, a Bovespa deverá passar por um ajuste amanhã. Os analistas estão divididos - uma parte espera manutenção da Selic hoje em 8,75% ao ano e outra projeta alta do juro. As apostas para o tamanho do aperto têm ampla maioria, em 0,50 pontos porcentuais. No mercado doméstico de ações, uma parcela dos investidores avalia que a Bovespa já está bem precificada se a Selic for mantida e outra ala entende que nos níveis atuais a Bolsa já considera uma alta do juro básico.

Mas, no final das contas, o que será determinante para a Bovespa serão os fatores externos - leia-se Estados Unidos, China e commodities. Esta manhã, os mercados internacionais ainda ecoam a decisão do Fomc da véspera que reiterou que os juros permanecerão baixos nos EUA ainda por um bom tempo, o que motivou alta forte das bolsas asiáticas nesta quarta-feira e reforçou o apetite ao risco no mercado de commodities.

O cobre subia quase 1,4% e o níquel 1,6% mais cedo, em Londres, e o petróleo sobe quase 1%, acima de US$ 82 por barril, diante da decisão da Opep de manter as cotas de produção, mas analistas alertam que esse rali de hoje nas commodities pode ter um caráter mais especulativo. No caso do petróleo, o risco do dia é a divulgação dos estoques semanais, às 11h30.

Com isso, Petrobras e Vale, que ontem fecharam nas máximas devem estender os ganhos na abertura. No caso de Vale, a notícia de que a mineradora planeja vender um bônus benchmark (referência) de oito anos, denominado em euro, deve beneficiar os papéis da companhia. O referencial de preço para o bônus que Vale planeja emitir foi fixado em 140 a 145 pontos-base (1,4 a 1,45 ponto porcentual) sobre os mid-swaps, de acordo com um dos bancos que coordenam a transação. No caso de Petrobras, a estatal informou ontem à noite que vai divulgar o balanço do quarto trimestre e do ano de 2009 na sexta-feira, dia 19, após o fechamento do pregão.

Mas a novidade do dia na Bolsa é a decisão da OSX, a empresa de serviços para indústria de petróleo do grupo do empresário Eike Batista, de reduzir a quantidade de ações em sua oferta inicial de ações e também o preço alvo, depois de os acionistas controladores terem se comprometido com um aumento de capital privado de até US$ 1 bilhão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.