Tamanho do texto

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, ressaltou nesta quinta-feira, após participar de almoço com empresários, que a expansão de créditos em 34% ao ano é excessiva e que, para ele, se o patamar fosse reduzido para um crescimento entre 23% e 25% ao ano já estaria de bom tamanho. De acordo com o ministro, ele já alertava desde o final do ano passado que a rápida velocidade de avanço do crédito atingia níveis inadequados.

"É claro que eu quero que o crédito aumente, o crédito é um dos dinamizadores dos investimentos e do consumo, só que estava crescendo mais que 30% ao ano, eu quero que continue crescendo, mas menos que 30% ao ano. Então tomamos algumas medidas", comentou.

"Em janeiro deste ano eu aumentei o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) em 1,5%, acima do que deveria aumentar só pela substituição da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), sobre o crédito de pessoa física. O Banco Central aumentou o compulsório para leasing, que é uma das modalidades de financiamento hoje bastante usadas", afirmou Mantega.

"Esse compulsório vai chegar a R$ 40 bilhões que você tira de circulação da economia. Esse aumento de juros que o BC promoveu de 1,75 ponto porcentual (desde abril), já encareceu e está diminuindo o crédito para pessoa física. Nós detectamos redução no crédito para pessoa física, esta correção já está sendo feita", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.