Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bom desempenho nos EUA leva Friboi a lucro recorde no trimestre

O frigorífico JBS-Friboi, maior processador mundial de carne bovina, anunciou ontem um lucro líquido de R$ 694 milhões no terceiro trimestre, revertendo o prejuízo de R$ 78,3 milhões do mesmo período do ano passado. A receita líquida totalizou R$ 7,772 bilhões, uma alta de 48,5% na mesma comparação.

Agência Estado |

O grupo também obteve, no terceiro trimestre, receita financeira líquida de R$ 408,7 milhões, ante despesas financeiras líquidas de R$ 189 milhões em igual período de 2007.

"Esse foi o melhor trimestre da história da empresa e seguiremos preparados para continuar crescendo. Não temos como pensar que passaremos ilesos por essa crise de liquidez, mas outros não vão sequer passar, e da crise podem sair oportunidades", disse o presidente do grupo, Joesley Mendonça Batista.

Um dos principais motivos para o bom resultado foi o desempenho das vendas nos Estados Unidos, onde a empresa comprou, no ano passado, a gigante Swift. A unidade americana é a maior geradora de receita do grupo, respondendo por 43% do faturamento total, e teve o melhor resultado da história. No terceiro trimestre, o faturamento da unidade americana chegou a US$ 2,75 bilhões, resultado que supera em 4,8% o faturamento do segundo trimestre, que foi de US$ 2,63 bilhões.

A Friboi fez este ano novas aquisições nos Estados Unidos. Já recebeu aprovação para a compra da Smithfiel Foods, mas enfrenta um processo que tenta barrar a aquisição de outra empresa, a National Beef. A alegação dos americanos é que haverá uma excessiva concentração no mercado de carne.

As ameaças russas de queda na demanda, exigências para renegociar contratos e alegações de falta de pagamento não preocupam o presidente do grupo JBS-Friboi, Joesley Mendonça Batista.

Segundo ele, nos últimos três anos os importadores russos registram esse mesmo fenômeno e as importações sempre voltam. "Vindo da Rússia, isso é recorrente. Os russos vão se adequar e voltarão a comprar, porque o mercado interno vai continuar demandando carne", disse Batista. A Rússia é o maior cliente individual e absorve 18% das vendas do JBS-Friboi.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG