As bolsas européias, norte-americanas e a brasileira tiveram ontem uma sessão de recuperação parcial das fortes perdas da véspera, em meio à ausência de indicadores relevantes nos EUA e expectativas de novos cortes de juros pelo Banco Central Europeu e o Banco da Inglaterra amanhã. Na Europa, a bolsa de Londres subiu 1,41%.

Nos EUA, o Dow Jones avançou 3,31%; e o Nasdaq, 3,70%. No Brasil, a Bovespa ganhou 0,75%, aos 35.000,84 pontos.

No mercado de juros, a queda da produção industrial no País em outubro ante setembro assim como o IPC-Fipe de novembro abaixo do piso das estimativas dos analistas deram fôlego à queda mais forte das taxas futuras, uma vez que foram enterradas as apostas de retomada do aperto monetário na taxa Selic durante todo o ano de 2009.

A alta do dólar, que fechou cotado a R$ 2,391 (3,10%) no balcão, foi relevada porque os s analistas estão céticos quanto à possibilidade de um repasse integral da valorização da moeda para os preços na atual conjuntura de economia debilitada. O recuo de preço das commodities também serve de contrapeso à pressão cambial na inflação. O juro de janeiro de 2010 cedeu para 13,93%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.