Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas na Europa sobem com ajuda de montadoras

As bolsas na Europa operam em alta nas primeiras horas de negócios nesta terça-feira, ajudadas pelo bom desempenho dos papéis de montadoras e farmacêuticas. Mas as persistentes preocupações com a perspectiva para a economia global e para os lucros corporativos pesam no humor dos investidores e contêm valorizações muito acentuadas.

Agência Estado |

Ontem, a Ford e a General Motors divulgaram queda forte nas vendas de veículos em dezembro, de 31,7% e 31,4%, respectivamente. Mas o declínio não foi tão ruim quanto analistas esperavam, o que abre espaço para uma valorização no setor hoje.

"Parece haver um pouco de confiança retornando", comentou Grant Williamson, da consultoria Hamilton Hindin Greene.

Às 8h45 (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 0,77%, a Bolsa de Paris avançava 0,94% e a Bolsa de Frankfurt ganhava 1,25%. O futuro Nasdaq 100 avançava 0,71% e o S&P 500 tinha alta de 0,67%.

As ações da Daimler subiam 3,25% e as da Volkswagen, 6,6%. Porsche ganhava 1,2% após ter informado que irá aumentar sua participação na Volkswagen para 50,76%.

O setor farmacêutico também lidera os ganhos nas bolsas europeias, com a GlaxoSmithKline em alta de 2,13%, Sanofi-Aventis subindo 2,08% e AstraZeneca em avanço de 1,44%. A AstraZeneca informou ter entrado com pedido de aprovação na Europa para uma vacina contra gripe.

Em Londres, o setor de varejo era destaque e as ações do grupo de lojas de departamento Debenhams saltavam 28%, depois de ter divulgado declínio nas vendas em linha com as expectativas do mercado, de 3,5% nas 18 semanas até 3 de janeiro. O grupo disse estar ganhando fatia de mercado dos concorrentes em todas as categorias.

A operadora de lojas de roupas Next tinha alta de 6,4%, uma vez que a empresa manteve sua meta para o ano fiscal. As vendas de 29 de julho a 24 de dezembro de 2008 caíram 1,9% em relação a igual período do ano passado.

Já o setor bancário ia na contramão do mercado, com destaque para o Commerzbank (-1,83%), que informou estar avaliando a emissão de um bônus garantido pelo Estado. A decisão sobre quando e se o bônus será emitido, bem como o volume e o vencimento, ainda não foi tomada, disse a porta-voz Simone Fuchs. Hoje, o Financial Times Deutschland divulgou que o banco planeja emitir bônus garantidos pelo Estado com volume entre 1 bilhão de euros e 2 bilhões de euros (US$ 1,345 bilhão a US$ 2,69 bilhões) esta semana, segundo pessoas com conhecimento do assunto.

"Embora muitas ações tenham formado uma base de valorização significativa para o médio prazo, nós não buscaríamos um rali agressivamente. O risco de queda das ações continua elevado, especialmente quando a proibição na venda a descoberto de ações do setor financeiro acabar na próxima semana. Podemos comprar, mas de forma modesta", comentou J.Wong, analista da Investors Intelligence. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG