Tamanho do texto

SÃO PAULO - O humor voltou a se deteriorar hoje nos mercados globais e as bolsas européias, que já tinham caído bastante ontem, reforçaram o tombo nesta jornada. Nem mesmo as reduções de juro na região contribuíram para afastar os temores de recessão ou, pelo menos, de forte desaceleração após a crise financeira.

O FTSE-100, de Londres, fechou em baixa de 5,70%, para 4.272 pontos. Em Frankfurt, o DAX cedeu 6,84%, a 4.813 pontos. O CAC 40, de Paris, declinou 6,38%, para 3.387 pontos.

Esse temor de diminuição de crescimento da atividade global fez com que ações de empresas de matérias-primas caíssem bastante. Os papéis da ArcelorMittal caíram 19,12% em Paris e as da mineradora Vedanta recuaram 20,54% no mercado londrino. Ambas as empresas já mostraram resultados baixos no último trimestre.

O corte inesperado de 1,5 ponto percentual na taxa de juro da Inglaterra, para 3% ao ano, não eliminou o mau humor, sobretudo depois que as bolsas em Wall Street já abriram em forte queda. Também reduziram a taxa de juros, em 0,50 ponto percentual, o Banco Central Europeu (BCE) e o Banco Nacional da Suíça.

Em Frankfurt, as ações da Adidas cederam 8,65% após ter publicado lucro menor do que o esperado. Receita mais baixa no período também justificou a desvalorização de 9,15% das ações da seguradora Axa.

Também recuaram as ações da Shell, que fecharam em queda de 7,44% em Londres, devido ao comportamento de baixa dos preços do petróleo. A justificativa para essa diminuição de preços, também dos metais, está amparada também na desaceleração econômica.

(Valor Online, com agências internacionais)