Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas européias terminam o dia em baixa

As principais bolsas européias não sustentaram as altas do início do dia e encerraram a sessão de hoje em baixa, já que as preocupações com a economia global persistem. Além disso, o petróleo segue em níveis elevados - o barril opera acima dos US$ 142,00 em Nova York.

Agência Estado |

Outro fator de pressão sobre as ações européias foi a pesquisa de emprego nos Estados Unidos da consultoria ADP referente ao mês de junho, que apontou corte de 79 mil vagas no setor privado norte-americano - analistas esperavam queda de 20 mil vagas. Amanhã, o Departamento do Trabalho dos EUA anuncia os números oficiais sobre o mercado de trabalho norte-americano. No ano até maio, os EUA já eliminaram mais de 250 mil vagas de emprego.

Também amanhã, as atenções voltam-se à decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), que pode elevar a taxa de juros na zona do euro (15 países europeus que compartilham a moeda) em 0,25 ponto porcentual, para 4,25% ao ano.

Inglaterra

O índice FT-100, da Bolsa de Londres, encerrou o dia na mínima, com queda de 0,98%, a 5.4264 pontos.

As ações da construtora Taylor Wimpey, que não conseguiu levantar capital, despencaram mais de 49%. Mais construtoras seguiram a TW e caíram fortemente, caso de Redrow (-21%) e Barrat Developments (-29%).

Outra queda expressiva em Londres foi a da varejista Marks & Spencer, com baixa de 24%. As vendas nas lojas abertas há mais de uma ano da M & S caíram 5,3% no primeiro trimestre fiscal de 2008 em comparação ao mesmo período de 2007.

No setor de mineração e siderurgia, o dia também foi ruim: Antofagasta declinou 7,9%, Rio Tinto recuou 4,4% e BHP Billiton cedeu 4,5%. Já os papéis da farmacêutica AstraZeneca avançaram 4,8%.

França

Em Paris, o CAC-40 encerrou em baixa de 1,03%, a 4.296,48 pontos.

No setor siderúrgico, a ArcelorMittal caiu 6,1%. Entre os bancos, BNP Paribas avançou 0,4% e Société Générale declinou 0,01%. As ações da farmacêutica Sanofi-Aventis acompanharam as da britânica AstraZeneca e subiram 3,2%.

Alemanha

Os papéis do banco alemão Deutsche Bank subiram 3,9%, mas não impediram o índice DAX-30, da Bolsa de Frankfurt, de fechar com queda de 0,17%, a 6.305,42 pontos.

Os comentários do Deutsche, que disse não precisar levantar capital, deram fôlego às bolsas européias durante a manhã. Outros bancos alemães também avançaram, caso de Commerzbank (+4,8%).

Espanha

Em Madri, ações de bancos e de infra-estrutura recuperaram parte das fortes perdas recentes e ajudaram o índice Ibex-35, da Bolsa espanhola, a subir 0,73%, para 11.856,90 pontos.

Banesto avançou 7,3%, Mapfre teve alta de 3,3% e Santander encerrou com ganho de 1,7%. Telefónica subiu 2,3%.

Portugal

A Bolsa de Lisboa, que vinha de perdas expressivas, fechou com ganho. O índice PSI-20 avançou 2,77%, a 8.721,85 pontos.

Portugal Telecom teve elevação de 5,3% e Energias de Portugal (EDP) subiu 4,6%. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG