SÃO PAULO - As bolsas européias encerraram o dia com forte desvalorização, acompanhando a piora generalizada do humor dos investidores no mercado financeiro global. O aumento da aversão a risco e a queda dos preços de commodities influenciaram a baixa, assim como a redução das estimativas de crescimento do PIB para a zona do euro, divulgadas hoje pelo Banco Central Europeu (BCE) após a decisão de manter inalterada a taxa básica de juros da região em 4,25% ao ano.

Em Londres, o FTSE-100 fechou com queda de 2,50%, aos 5.362 pontos. O DAX, de Frankfurt, apontou perda de 2,91%, para 6.279 pontos. Em Paris, o CAC 40 finalizou a jornada aos 4.304 pontos, com desvalorização de 3,22%.

As preocupações com a base de crescimento da economia global continuam amparando as perdas no mercado acionário europeu. Na Alemanha, as encomendas à indústria caíram 1,7% no mês de julho. Analistas ponderam em relatórios a investidores que a desaceleração econômica na Europa começa a ficar mais clara, o que não favorece as perspectivas de resultados financeiros.

Ainda considerando a fraqueza da economia, hoje o Banco Central Europeu manteve inalterada a taxa de juro da região em 4,25%. Jean-Claude Trichet, presidente da autoridade monetária, reviu para baixo a previsão de crescimento do PIB deste ano, de 1,1% a 1,7%, contra estimativa anterior de 1,5% a 2,1%. Na Inglaterra, o Banco da Inglaterra manteve o juro em 5%.

As ações da Siemens caíram 4,8% na bolsa alemã e as da STMicroeletronics declinaram 5,6% em Paris. No setor bancário, as ações do Barclays fecharam com queda de 6% em Londres e os papéis da financeira HBOS caíram 6,8%.

Os dados sobre o mercado de trabalho nos Estados Unidos também preocuparam os agentes. A maior economia do mundo registrou hoje um aumento de 15 mil nos pedidos de seguro-desemprego na semana encerrada no dia 30.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.