Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas européias sobem com petrolíferas e mineradoras

As principais bolsas européias passaram a sustentar alta firme na manhã de hoje, ajudadas pelo bom desempenho das ações de petrolíferas e mineradoras, em meio à recuperação dos preços das matérias-primas (commodities) e com o balanço positivo da mineradora anglo-australiana BHP Billiton. Por outro lado, a leve alta do petróleo prejudica as ações de companhias aéreas, enquanto a leve valorização do euro ante o dólar derruba os papéis de exportadoras.

Agência Estado |

Às 8h32 (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 0,62%, a Bolsa de Paris avançava 0,98% e a Bolsa de Frankfurt tinha alta de 0,42%. Segundo um operador, o volume mais fraco de negócios contribui para acentuar as movimentações dos índices.

No mesmo horário, o contrato futuro do petróleo tipo WTI com vencimento em setembro tinha leve alta de 0,02%, a US$ 113,79 por barril, na sessão eletrônica da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês).

As ações da siderúrgica ArcelorMittal registravam ganho de 2%, em meio ao avanço dos metais básicos, enquanto as petrolíferas Total subia 3% e Repsol avançava 1,7%; e as mineradoras Rio Tinto tinha alta de 2,1% e Anglo American, de 2,9%.

A BHP Billiton exibia alta de 1,3%, depois de anunciar aumento no lucro líquido do ano fiscal até 30 de junho e ter considerado o impacto da fraqueza dos mercados desenvolvidos na demanda por commodities como "mínimo". A mineradora australiana informou que seu lucro líquido no ano fiscal subiu 14,7%, para um recorde de US$ 15,39 bilhões, puxado pelo alta dos preços e dos volumes de produção.

Já exportadoras e companhias aéreas devolviam os ganhos recentes. Air-France KLM caía 0,5%, EADS cedia 1,02% e a exportadora fabricante de chips Infineon Technologies perdia 0,17%.

As ações da fabricante de equipamentos para semicondutores ASM International avançavam 4,8% em reação à notícia de que o presidente-executivo da empresa foi retirado das discussões com a fabricante de chips americana Applied Materials sobre a venda de unidades. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG