SÃO PAULO - Após três dias consecutivos de valorização, as bolsas europeias encerraram com baixa em meio a preocupações com o plano americano anunciado hoje pelo Tesouro dos EUA, que poderia não ser suficiente para reanimar a maior economia do mundo. Em Londres, O FTSE-100 tombou 2,19%, para 4.213 pontos.

O DAX caiu 3,46%, para 4.505 pontos e o CAC 40, de Paris, encerrou aos 3.020 pontos, com recuo de 3,64%.

A baixa se acentuou rapidamente no final do pregão, quando o secretário do Tesouro, Timothy Geithner, apresentou o novo plano de ajuda ao setor financeiro. A queda das ações em Nova York acabou conduzindo a praça europeia.

As quedas mais significativas foram notadas no setor de petróleo, como a Total, cujos papéis caíram 3,57%, e da Eni que fechou em baixa de 3,01%. Também cederam as ações de mineradoras como a Xstrata, que encerraram em queda de 5,22%.

No setor bancário as ações do banco HSBC caíram 3,29% enquanto o suíço UBS viu seus papéis fecharem em baixa de 0,62% após divulgar resultados e informar que planeja demissão de 2,2 mil empregados.

O plano do governo dos EUA para restaurar o sistema financeiro deve somar de US$ 1,5 trilhão a US$ 2 trilhões, de acordo com o texto do discurso do secretário do Tesouro norte-americano, Timothy Geithner. Entre as iniciativas está a criação de um fundo público-privado com o objetivo de tirar os ativos poderes dos balanços dos bancos. O plano é começar com US$ 500 bilhões e expandir esse montante conforme o resultado, segundo Geithner.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.