Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas europeias operam em baixa pelo 5º dia seguido

As bolsas europeias operam em baixa nesta manhã pelo quinto dia seguido. As persistentes preocupações com a economia e a queda dos preços dos contratos futuros de metais e do petróleo prejudicam companhias ligadas a esses setores.

Agência Estado |

"No estágio atual, o grande peso sobre o setor de energia continua sendo o impacto crescente da recessão econômica sobre o consumo", destacaram analistas da MF Global.

Além disso, companhias do setor de exploração de recursos naturais estão apenas começando a detalhar o quanto a demanda menor prejudica seus resultados. Ontem, após o fechamento dos mercados, a norte-americana Alcoa anunciou que obteve prejuízo de US$ 1,2 bilhão no quarto trimestre do ano passado, apagando o lucro líquido de US$ 632 milhões registrado em igual período de 2007. Em Londres, quatro das dez maiores perdas dentro do índice FT-100 eram de mineradoras; Rio Tinto perdia 6,7% e Xstrata caía 6,2%.

As quedas no mercado londrino só não eram maiores por causa do bom desempenho de varejistas, após a Tesco, a maior empresa do setor no país, anunciar que suas vendas de mesmas lojas cresceram 2,5% no período de sete semanas terminado em 10 de janeiro, em comparação com igual intervalo do ano passado, levemente acima da previsão média de analistas. As ações do grupo subiam 2%.

Na França, Total caía 1,2%, em meio ao recuo de mais de 2% dos contratos futuros de petróleo. France Telecom cedia 2,2%, após ser rebaixada de neutra para vender pelo UBS, que citou riscos cambiais. BNP Paribas recuava 4,1%, reagindo à informação do jornal La Tribune de que o grupo estuda não comprar todas as operações de seguros do Fortis. Na Espanha, Santander perdia 3,2%, depois de o Wall Street Journal informar que promotores estão investigando como os clientes do segundo maior banco da Europa perderam mais de 2,3 bilhões de euros com o investimento no esquema de Bernard Madoff.

Na Alemanha, Deutsche Postbank avançava 4,8%. De acordo com o jornal Handelsblatt, o Deutsche Bank quer renegociar os termos de sua aquisição de uma fatia de 29,75% no Deutsche Postbank, comprada da Deutsche Post por US$ 3,73 bilhões em setembro de 2008. O Deutsche Bank, segundo o jornal, acredita que esse preço ficou alto demais depois da forte queda das ações do grupo. Deutsche Bank subia 1,4% e Deutsche Post caía 3,3%.

Ainda na Alemanha, a varejista Metro ganhava 3,6%, após informar que suas vendas cresceram 5,9% no ano passado, para US$ 90,2 bilhões.

Às 8h16 (de Brasília), o índice FT-100, da Bolsa de Londres, cedia 1,70%; em Paris, o CAC-40 recuava 2,09%; em Frankfurt, o Dax perdia 2,18%. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG