Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas européias mantêm recuperação com altas superiores a 5%

Frankfurt (Alemanha), 14 out (EFE).- As bolsas européias mantiveram na metade do pregão a recuperação iniciada na segunda-feira com altas médias superiores a 5%, graças aos pacotes de resgate para os bancos aprovados na Europa e nos Estados Unidos.

EFE |

Na metade do pregão, registravam altas a Bolsa de Londres (5,5%), a Bolsa de Frankfurt (4,7%), a Bolsa de Paris (5%), a Bolsa de Milão (5,9%) e a Bolsa de Madri (4,6%).

Na Islândia, o índice da Bolsa de Reykjavik desabou 75% após a retomadas das negociações, interrompida ontem pelo terceiro dia consecutivo, e só foram negociadas as ações de algumas companhias.

Os grandes bancos nacionalizados Kaupthing Bank, Glitnir e Landsbanki aparecem no índice islandês com zero, já que o mercado não pode dar-lhes valor neste momento.

Os pregões europeus recuperaram a confiança devido aos pacotes de resgate para os bancos aprovados pelos EUA e pelos chefes de Estado e de Governo da zona do euro.

No entanto, alguns operadores consideram que se trata simplesmente de uma recuperação técnica.

Os EUA investirão até US$ 250 bilhões para comprar ações de bancos do país, a fim de estabilizar o setor financeiro e oferecer liquidez, segundo a imprensa americana.

Os mercados de valores europeus receberam impulsos da forte alta do índice Nikkei da Bolsa de Tóquio, onde ontem não houve negociações por motivo de feriado e que hoje disparou 14,15%, a maior subida diária de sua história.

Além disso, as altas da Bolsa de Nova York no fechamento de ontem, superiores a 11%, também contribuíram para a boa evolução dos mercados na Europa.

O Banco Central Europeu (BCE) injetou hoje no mercado interbancário US$ 98,403 bilhões com vencimento a um dia e taxa de juros mínima (marginal) de 0,2%.

Na Europa, o setor das companhias de petróleo e gás lideravam os ganhos com uma alta de 19,7%, devido à subida do petróleo, seguido pela área de telecomunicações (15,9%) e das empresas de matérias-primas (7,4%).

Os bancos europeus subiam uma média de 3,7% na metade do pregão, menos que nas primeiras horas de negociação.

O euro se recuperava frente ao dólar e era negociado a US$ 1,3749 por volta das 8h20 de Brasília, frente ao US$ 1,3590 de ontem. EFE aia/an

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG