Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas europeias fecham perto da estabilidade

As principais bolsas europeias encerraram a sessão desta quinta-feira perto dos níveis de fechamento anterior, evitando perdas adicionais ao longo do dia, depois de um início de semana turbulento. Os resultados corporativos desiguais de gigantes como Nestlé e Axa falharam em estimular os investimentos em um clima marcado pelo pessimismo.

Agência Estado |

Em Londres, o índice FT-100 subiu 11,54 pontos (0,29%) e fechou com 4.018,37 pontos; em Paris, o índice CAC-40 caiu 1,47 ponto (-0,05%) e fechou com 2.872,60 pontos; em Frankfurt, o índice Xetra-Dax avançou 10,25 pontos (0,24%) e fechou com 4.215,21 pontos.

As ações da Nestlé subiram 5,19%, depois da companhia ter anunciado um aumento de 69% no lucro líquido em 2008 para 18,04 bilhões de francos suíços (US$ 15,4 bilhões), impulsionado pelo crescimento nas vendas dos produtos e venda de ativos. A maior fabricante de alimentos e bebidas do mundo também anunciou um aumento no pagamento de dividendos em 2008.

Em Paris, as ações da seguradora Axa fecharam em baixa de 9,14%, depois da companhia ter anunciado uma queda de 84% no lucro líquido para 923 milhões de euros e a firma alertou que 2009 continuará a ser desafiador, especialmente no segmento de seguro de vida e administração de ativos.

A resseguradora Swiss Re também divulgou balanço e suas ações fecharam em baixa de 4,99%. Apesar da resseguradora (companhia que oferece seguro a seguradoras) ter rebaixado sua exposição a ativos de risco, existe potencial para mais baixas contábeis e um aumento de capital pode ser preciso por causa da sua exposição de risco de cerca de 50 bilhões de francos suíços (US$ 42,5 bilhões).

As ações do BNP Paribas, maior banco francês em valor de mercado, caíram 0,49%. O banco confirmou um prejuízo líquido de 1,37 bilhão de euros no quarto trimestre, mas disse que ainda tem planos de pagar um dividendo e que está bem posicionado para 2009.

Ainda no setor bancário, as ações do UBS, maior banco suíço, subiram 4,83%. O banco concordou em pagar US$ 780 milhões em multa por ter ajudado clientes americanos a burlarem a receita federal, segundo anunciou o Departamento de Justiça dos EUA na quarta-feira. "O encerramento do caso tributário nos EUA é o que estávamos esperando. É muito positivo para o UBS ter encerrado o caso, agora o banco poderá seguir adiante novamente e começar a reconstruir sua reputação. A multa é menos que tínhamos precificado anteriormente", disseram analistas do Vontobel.

As ações dos bancos britânicos também tiveram um dia positivo, com destaque para: Royal Bank of Scotland +20,4% e o Lloyds Banking Group +11,8%. Alguns dos bancos atingidos no início da semana pelos temores relacionados à exposição da dívida dos países do Leste europeu recuperaram parte das perdas nesta quinta-feira: Fortis +8,18% e Société Générale +3,43%.

Em Milão, o índice S&P/MIB caiu 79 pontos (0,48%) e fechou com 16.501 pontos; em Madri, o índice Ibex-35 subiu 14,50 pontos (0,18%) e fechou com 7.875,90 pontos; em Lisboa, o índice PSI-20 recuou 36,48 pontos (-0,59%) e fechou com 6.157,21 pontos. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: bolsa de valores

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG