Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas européias fecham em queda com montadoras

As principais bolsas européias terminaram em queda hoje, puxadas pelas ações do setor automotivo, diante do aumento nos preços do petróleo até o encerramento das sessões, e em meio às incertezas sobre o pacote de US$ 700 bilhões elaborado pelo governo dos EUA para auxiliar o mercado financeiro. As montadoras estão sendo prejudicadas pelos temores sobre o comportamento do petróleo no momento, disse Stephen Pope, estrategista de mercado da Cantor Fitzgerald em Londres.

Agência Estado |

"As perspectivas econômicas atuais estão colocando as commodities numa situação de sobe e desce." As ações da Volkswagen perderam 5,8%, Renault caiu 2,85% e a Peugeot cedeu 2,66%.

As ações do setor financeiro contrariaram a tendência de baixa do mercado, reagindo à notícia de que a Berkshire Hathaway, empresa controlada por Warren Buffett, investirá US$ 5 bilhões no banco Goldman Sachs por meio da compra de ações preferenciais perpétuas. "A decisão de Warren Buffett em relação ao Goldman reforça a nossa visão de que as ações finalmente estão num valor atraente", disse Charles Dumas, da Lombard Street Research.

O setor de serviços públicos recebeu atenção do mercado após a companhia francesa Electricité de France (EDF) anunciar a aquisição da British Energy por 12,5 bilhões de libras (US$ 23,1 bilhões). Caso se concretize, o acordo posicionará a EDF na liderança do setor de energia britânico e permitirá que a francesa construa quatro reatores nucleares no Reino Unido a partir de 2017.

As ações da EDF em Paris subiram 3,21%, enquanto as da British Energy avançaram 5,66% em Londres - um dos avanços mais acentuados da sessão.

O índice FTSE 100, da Bolsa de Londres, terminou em queda de 40,60 pontos (-0,79%), para 5.095,6 pontos. As ações da empresa de mineração e metais Vedanta pesaram sobre o índice, recuando 6,75% após a companhia descartar um plano para simplificar sua estrutura corporativa. Outras mineradoras também caíram, diante do declínio nos preços dos metais. A Anglo American perdeu 5,99% e a Rio Tinto 0,77%. Alguns bancos tiveram desempenho positivo, com destaque para o Royal Bank of Scotland, que subiu 3,32%. O Barclays recuou 3,29%.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX caiu 15,66 pontos (-0,26%), para 6.052,87 pontos. Munich Re terminou em alta de 4,62% e a Hannover Re subiu 8% após a divulgação de uma nota da JPMorgan afirmando que as duas companhias eram as melhores apostas do setor de resseguradoras.

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, terminou em queda de 25,28 pontos (-0,61%), para 4.114,54 pontos. Perto do final da sessão, o sentimento do mercado foi atingido pela divulgação de um dado que mostrou deterioração do sentimento dos consumidores franceses em setembro, que atingiu o menor nível em cinco anos.

O Crédit Agricole liderou a alta do setor de bancos, com avanço de 5,11%, enquanto o Société Générale subiu 2,46%. A Alcatel-Lucent ganhou 3,73% com cobertura de posições vendidas.

Na Bolsa de Madri, o índice IBEX-35 recuou 63,60 pontos (-0,57%), para 11.112,9 pontos. Os bancos encerraram mistos, com o alta de 0,29% no Santander, queda de 0,17% para o BBVA e aumento de 0,46% para o Banco Popular. A Repsol subiu 1.74% em meio aos preços mais altos do petróleo. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG