Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas européias fecham em baixa; Paris sobe

As principais bolsas européias fecharam o pregão de hoje em queda. Apenas a Bolsa francesa registrou alta, impulsionada pela introdução do programa de socorro bancário do governo, similar ao realizado pelos demais países europeus.

Agência Estado |

O movimento de realização de lucros, em função das fortes altas de ontem, contribuiu para a baixa nos mercados europeus hoje, bem como as previsões desanimadoras sobre os lucros de empresas americanas, como Dupont e Texas Instruments. Apesar disso, analistas ficaram satisfeitos com o fato de as baixas terem ficado dentro de uma margem de oscilação limitada, oferecendo alguma trégua em relação às recentes alterações desordenadas - para baixo e para cima - dos índices.

França

Em Paris, o índice CAC-40 subiu 0,78%, para 3.475,40 pontos. As ações de bancos subiram após o anúncio, na noite de ontem, do pacote de injeção de capital no valor de 10,5 bilhões de euros para os seis maiores bancos do país. Credit Agricole teve alta de 15,74%; Société Générale subiu 10,23% e BNP Paribas fechou o dia com elevação de 7,48%.

Comunicado divulgado pelo Credit Suisse diz que "as fragilidades recentes devem chegar ao fim. Nós vemos o anúncio (de ontem) como satisfatório para os bancos e tranqüilizador para os mercados. Isso não coloca os bancos franceses dentre os melhores em solvência, mas eles não precisam estar, sob nosso ponto de vista, tendo em vista seu perfil menos arriscado".

O BNP Paribas também confirmou seus planos de emitir 2,55 bilhões de euros em dívidas subordinadas como parte do plano de recapitalização. O maior banco francês em valor de mercado disse que a emissão não é um empréstimo e não vai resultar em participação do governo na instituição, ao contrário dos planos de recapitalização do Reino Unido e da Suíça.

Alemanha

Em Frankfurt, o índice DAX registrou baixa de 1,05%, a 4.784,41 pontos.

A resseguradora Hannover Re AG recuou 13,25%. A instituição informou que não fará uso do programa de recuperação do governo alemão, apesar de não ter como atingir o lucro previsto para o ano. A empresa justificou a queda na previsão de lucros em razão da quantidade de desastres naturais, mas afirmou que não tem problemas de liquidez ou de refinanciamento.

Volkswagen AG caiu 12,39%, contribuindo fortemente para a queda do DAX pelo segundo dia consecutivo.

Inglaterra

O índice FTSE 100 caiu 1,24%, para 4.229,73 pontos.

As ações da Prudential PLC subiram 5,53% após a empresa divulgar alta de 15% em suas vendas no terceiro trimestre deste ano. A seguradora também informou estar monitorando de perto o programa de venda de ativos da AIG na Ásia, embora a própria empresa tenha reduzido seus objetivos na Ásia em razão da crise financeira global. As ações de construtoras também subiram.

No lado negativo, Hays PLC recuou 3,83%, depois de o Escritório de Defesa Econômica do país ter informado que está investigando oito agências de recrutamento suspeitas de fixarem preços e de boicote em grupo. As ações do setor de recrutamento também são afetadas pela desaceleração econômica.

Espanha

Em Madri, o índice IBEX-35 caiu 1,50%, para 9.795 pontos. Segundo analistas, as quedas no mercados de ações americano hoje minou a confiança dos investidores.

Mapfre liderou as baixas, com queda de 8,05%; já a companhia aérea Iberia registrou a maior alta, de 6,78%, com as informações de que há menos empecilhos para a fusão com a British Airways do que se temia inicialmente. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG