As bolsas europeias encerraram uma semana agitada com ganhos, após dados melhores que os esperados da produção industrial da zona do euro (grupo dos 16 países que adotam o euro como moeda) e do crescimento nas vendas varejistas norte-americanas terem apoiado o sentimento do investidor. Entre os principais índices das Bolsas europeias, o DAX da Bolsa de Frankfurt subiu 0,28% para 5.

945,11 pontos, enquanto o FTSE da Bolsa de Londres avançou 0,15% para 5.625,65 pontos. O índice CAC-40 da Bolsa de Paris teve uma leve queda de 0,04% e fechou a 3.927,40 pontos. O índice IBEX35 da Bolsa de Madri teve alta de 0,29% para 11.077,00 pontos.

Na semana, o índice FTSE da Bolsa de Londres teve alta de 0,46%, enquanto o índice DAX da Bolsa de Frankfurt avançou 1,15%. O índice CAC-40 da Bolsa de Paris teve alta de 0,43% na semana, enquanto o IBEX35 da Bolsa de Madri subiu 0,52%. As preocupações pareceram se dissipar nesta sexta-feira, após dados mostrarem que a produção industrial das 16 nações da zona do euro subiu 1,7% em janeiro, e que as vendas varejistas norte-americanas tiveram alta de 0,3% em fevereiro.

Os bancos fecharam em alta na Europa, com as ações da Société Générale avançando 0,64% e do Commerzbank em alta de 2,85%. Após a divulgação do dado da produção industrial da zona do euro, a moeda europeia subiu, o que deu impulso para os futuros de commodities e ações das mineradoras. Em Londres, as ações da mineradora de cobre Vedanta Resources subiram 2,27%, enquanto os papéis da Anglo American avançaram 1,10%. No setor automotivo, as ações preferenciais da Volkswagen tiveram alta de 1,91%.

As ações da empresa de aviação comercial da Escandinávia, a SAS, saltaram 5,2%, após a companhia ter chegado a um acordo com sindicatos que representam pilotos e tripulações, através do qual serão economizadas 500 milhões de coroas suecas (US$ 70,4 milhões). Mas a British Airways, cujas ações subiram 2,21%, não conseguiu chegar a um acordo com um dos seus sindicatos, que representa pilotos e tripulações. O sindicato disse que ocorrerão duas greves em março. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.