Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas européias fecham em alta com commodities

As principais bolsas européias fecharam em alta, impulsionadas pelos ganhos das ações de empresas do setor de matérias-primas (commodities), que compensaram a fraqueza das companhias aéreas e dos bancos, segundo investidores e analistas. Atualmente, o tema dominante no mercado é a tendência geral de alta baseados nos preços mais altos de petróleo e commodities, disse Christian Tegllund Blaabjerg, estrategista de ativos do Saxo Bank, na Dinamarca.

Agência Estado |

Em Londres, o índice FT-100 subiu 0,97% e fechou com 5.371,8 pontos; em Paris, o índice CAC-40 avançou 0,76% e fechou com 4.365,87 pontos. Em Frankfurt, o índice Xetra-Dax avançou 0,56% e fechou com 6.317,80 pontos e em Milão, o índice S&P/MIB caiu 0,39% e fechou com 28.148 pontos. Madri registrou recuo de 0,39% e fechou com 11.379,90 pontos e em Lisboa, o índice PSI-20 avançou 0,45% e fechou com 8.386,64 pontos.

Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), os contratos futuros de petróleo tipo WTI com vencimento em setembro atingiram a máxima do dia de US$ 117,03 por barril no início da sessão, antes do relatório semanal do Departamento de Energia dos EUA (DoE), que apontou um acentuado aumento nos estoques comerciais de petróleo bruto e tirou o brilho do ativo. Após o indicador, os contratos de petróleo WTI escorreram para a mínima de US$ 112,61 por barril. Mas durante grande parte dia na Europa, os preços do petróleo ajudaram a dar impulso de alta as empresas relacionadas ao setor de commodities.

Por outro lado, o aumento dos custos dos combustíveis pesou sobre as ações de empresas do setor de turismo e lazer. Em Londres, as ações da British Airways caíram 1,74%, enquanto as da Rynair recuaram 0,3% em Dublin. As ações da SAS despencaram 6,6% depois que um vôo operado pela sua unidade Spanair se acidentou quando decolava do aeroporto de Madri, matando mais de 100 pessoas, segundo as autoridades locais.

O setor financeiro continuou a pesar negativamente sobre o sentimento dos mercados, com as gigantes hipotecárias norte-americanas Fannie Mae e Freddie Mac permanecendo no topo das preocupações dos investidores, com a crescente probabilidade de um socorro do governo federal. As ações do Unicredito Italiano caíram 1,12% em Milão, as do Société Générale recuaram 0,13% e as do Credit Agricole fecharam em baixa de 0,37%, ambas em Paris.

Entre as notícias do dia, a fabricante de aparelhos celulares Ericsson completou um acordo com a fabricante de chips franco-italiana STMicroelectronics para unir seus negócios de semicondutores para rede sem fio. O acordo tem como objetivo criar um rival mais forte para as norte-americanas Qualcomm Inc e Texas Instruments Inc. As ações da STMicroelectronics subiram 2,43% em Paris, enquanto as da Ericsson avançaram 0,46% em Estocolmo.

As ações do Grupo Ferrovial reagiram negativamente à decisão da Comissão de Competitividade do Reino Unido de que sua operadora de aeroportos britânicos terá de vender três dos sete aeroportos que administra, incluindo dois aeroportos em Londres. O mercado esperava que a Comissão recomendasse a venda de apenas um aeroporto de Londres. Em Madri, as ações do Grupo Ferrovial fecharam em baixa de 0,06%. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG