Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas européias fecham em alta com ajuda de NY

As bolsas européias encerraram em sua maioria em alta, na esteira do tom positivo de Wall Street por conta da melhora na confiança do consumidor norte-americano. Ações do setor de recursos básicos, como ArcelorMittal, lideraram os ganhos, mas o setor financeiro foi novamente abatido pelo receio de mais baixas contábeis nas instituições, depois que o Merrill Lynch anunciou a venda de obrigações de dívida colateralizadas (CDO) a um deságio acentuado e uma oferta de ações de US$ 8,5 bilhões para melhorar o balanço.

Agência Estado |

A Bolsa de Londres terminou o pregão com valorização de 0,12%, a Bolsa de Frankfurt subiu 0,75% e a Bolsa de Madri teve alta de 1,73%. Já a Bolsa de Paris terminou praticamente estável, com queda de 0,09%. Empresas de peso como Alcatel-Lucent e SAP subiram em reação aos relatórios do segundo trimestre, enquanto British Airways e Iberia tiveram um rali com as negociações para uma fusão.

As ações da ArcelorMittal saltaram 4,6%. Nos EUA, as ações da siderúrgica United States Steel subiam mais de 14% com o anúncio de que o lucro mais que dobrou no segundo trimestre, já que os preços foram impulsionados pela maior demanda global por seus produtos de aço.

As petrolíferas, por sua vez, foram prejudicadas pelo declínio nos contratos futuros de petróleo para o menor nível desde maio. Às 13h55 (de Brasília), o petróleo caía 2,68%, a US$ 121,38 por barril, no pregão eletrônico da Bolsa Mercantil de Nova York.

Bancos europeus com portfólio de CDOs estiveram entre os destaques de queda. Os CDOs do Merrill Lynch serão vendidos para o Lone Star Funds por US$ 6,7 bilhões, ou US$ 0,22 por ação. Ao vender os CDOs com esse desconto, o Merrill estabeleceu um preço de mercado para esses ativos menor do que o valor que os bancos de investimento tinham contabilizado em seus balanços.

As ações do banco suíço UBS, que já levantou cerca de US$ 30 bilhões em capital novo, caíram 3,6%. Barclays perdeu 4,1% e Société Générale recuou 3,4%.

As ações da British Airways subiram 6% e as da Iberia saltaram 20,7%, depois que as duas companhias aéreas anunciaram negociações para uma fusão. A Iberia também revelou ter assumido uma participação de cerca de 3% na British Airways, com opção de assumir quase 7% mais da companhia britânica. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: bolsa de valores

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG