Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Bolsas européias fecham em alta apesar da baixa do PIB

As principais bolsas européias fecharam em alta, apesar da fraca perspectiva para as economias da região. Segundo participantes do mercado e analistas, os índices foram sustentados pelos ganhos das ações de empresas de petróleo e matérias-primas (commodities).

Agência Estado |

Em Londres, o índice FT-100 subiu 48,8 (0,90%) e fechou com 5.497,40 pontos; em Paris, o índice CAC-40 avançou 17,94 pontos (0,41%) e fechou com 4.420,91 pontos; em Frankfurt, o índice Xetra-Dax subiu 20,02 pontos (0,31%) e fechou com 6.442,21 pontos.

Mais cedo, os contratos futuros de petróleo chegaram a subir acima de US$ 116,00 por barril e os preços dos metais básicos também estavam mais fortes, o que contribuiu para dar impulso de alta as ações de empresas de petróleo e matérias-primas. Contudo, o PIB do segundo trimestre da zona do euro (15 países europeus que compartilham a moeda) encolheu em 0,2% na comparação trimestral, a primeira contração desde que o indicador passou a ser compilado em 1995. Além disso, nos EUA, o índice de preços ao consumidor (CPI) subiu 0,8% em julho em comparação com junho, acima das expectativas dos analistas de alta de 0,4%.

As ações de empresas do setor de commodities estiveram entre as que mais subiram nesta quarta-feira. Em Frankfurt, a siderúrgica ThyssenKrupp AG anunciou uma queda de 21,4% no lucro líquido em seu terceiro trimestre fiscal, mas elevou sua perspectiva para o ano. A companhia - que atua em várias áreas, incluindo aço, tecnologia e elevadores - disse que o declínio foi resultado principalmente dos altos preços do aço inoxidável no ano anterior e elevado custo das matérias-primas. Analistas e investidores reagiram positivamente ao resultado da companhia e as ações da ThyssenKrupp fecharam em alta de 0,18%.

A maioria das ações de companhias mineradoras também subiu. Em Londres, as ações da Antofagasta lideraram os ganhos com uma alta de 4,47%. As ações da Kazakhmys avançaram 4,73%. Contudo, por outro lado, as ações da Lonmin, a terceira maior produtora de plantina do mundo, fecharam em baixa de 0,15%.
Segundo o presidente da companhia, John Craven, a oferta de 5 bilhões de libras feita pela Xstrata falhou em reconhecer o potencial de crescimento da companhia.

No setor de turismo, as ações da TUI Travel, maior operadora de viagens da Europa, caíram 2,19%, depois do comunicado provisório da companhia ter recebido uma recepção desigual dos participantes do mercado. Embora a TUI deva cumprir suas metas este ano, existem preocupações de um mercado muito mais difícil em 2009. As ações da British Aiways caíram 0,68% e as da espanhola Iberia recuaram 1,46% depois de terem confirmado um acordo para formação de uma joint venture com a American Airlines nos vôos transatlânticos.

Em Milão, o índice S&P/MIB subiu 20 pontos (0,07%) e fechou com 28.778 pontos; em Madri, o índice Ibex-35 caiu 88,60 pontos (0,76%) e fechou com 11.606,80 pontos; em Lisboa, o índice PSI-20 avançou 55,47 pontos (0,65%) e fechou com 8.561,96 pontos. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG