As principais bolsas européias fecharam em alta, apesar da fraca perspectiva para as economias da região. Segundo participantes do mercado e analistas, os índices foram sustentados pelos ganhos das ações de empresas de petróleo e matérias-primas (commodities).

Em Londres, o índice FT-100 subiu 48,8 (0,90%) e fechou com 5.497,40 pontos; em Paris, o índice CAC-40 avançou 17,94 pontos (0,41%) e fechou com 4.420,91 pontos; em Frankfurt, o índice Xetra-Dax subiu 20,02 pontos (0,31%) e fechou com 6.442,21 pontos.

Mais cedo, os contratos futuros de petróleo chegaram a subir acima de US$ 116,00 por barril e os preços dos metais básicos também estavam mais fortes, o que contribuiu para dar impulso de alta as ações de empresas de petróleo e matérias-primas. Contudo, o PIB do segundo trimestre da zona do euro (15 países europeus que compartilham a moeda) encolheu em 0,2% na comparação trimestral, a primeira contração desde que o indicador passou a ser compilado em 1995. Além disso, nos EUA, o índice de preços ao consumidor (CPI) subiu 0,8% em julho em comparação com junho, acima das expectativas dos analistas de alta de 0,4%.

As ações de empresas do setor de commodities estiveram entre as que mais subiram nesta quarta-feira. Em Frankfurt, a siderúrgica ThyssenKrupp AG anunciou uma queda de 21,4% no lucro líquido em seu terceiro trimestre fiscal, mas elevou sua perspectiva para o ano. A companhia - que atua em várias áreas, incluindo aço, tecnologia e elevadores - disse que o declínio foi resultado principalmente dos altos preços do aço inoxidável no ano anterior e elevado custo das matérias-primas. Analistas e investidores reagiram positivamente ao resultado da companhia e as ações da ThyssenKrupp fecharam em alta de 0,18%.

A maioria das ações de companhias mineradoras também subiu. Em Londres, as ações da Antofagasta lideraram os ganhos com uma alta de 4,47%. As ações da Kazakhmys avançaram 4,73%. Contudo, por outro lado, as ações da Lonmin, a terceira maior produtora de plantina do mundo, fecharam em baixa de 0,15%.
Segundo o presidente da companhia, John Craven, a oferta de 5 bilhões de libras feita pela Xstrata falhou em reconhecer o potencial de crescimento da companhia.

No setor de turismo, as ações da TUI Travel, maior operadora de viagens da Europa, caíram 2,19%, depois do comunicado provisório da companhia ter recebido uma recepção desigual dos participantes do mercado. Embora a TUI deva cumprir suas metas este ano, existem preocupações de um mercado muito mais difícil em 2009. As ações da British Aiways caíram 0,68% e as da espanhola Iberia recuaram 1,46% depois de terem confirmado um acordo para formação de uma joint venture com a American Airlines nos vôos transatlânticos.

Em Milão, o índice S&P/MIB subiu 20 pontos (0,07%) e fechou com 28.778 pontos; em Madri, o índice Ibex-35 caiu 88,60 pontos (0,76%) e fechou com 11.606,80 pontos; em Lisboa, o índice PSI-20 avançou 55,47 pontos (0,65%) e fechou com 8.561,96 pontos. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.