Madri - As principais bolsas europeias iniciaram o pregão desta sexta-feira com fortes quedas, que em alguns casos beiram os 10%, arrasadas por uma maré de vendas e afetadas pela desconfiança diante do efeito das medidas de resgate.

Acordo Ortográfico

Na abertura das sessões desta sexta-feira, o índice FTSE-100 da Bolsa de Londres registrava uma baixa de 9,89%, o S&P/MIB de Milão caía 8,59%, CAC-40 de Paris operava em baixa de 8,83%, e o DAX 30 de Frankfurt perdia 9,92%.

Na Espanha, o Ibex-35 caía 7,40%, enquanto o SMI (Swiss Market Index) de Zurique perdia 7,43%, e a Bolsa de Viena tinha de suspender seu pregão por registrar uma perda superior aos 10%.

Outros mercados europeus também operavam em forte baixa, como Lisboa (7,21%), Bruxelas (6,5), e Amsterdã (6,62).

Se até há poucos dias eram os bancos e entidades financeiras e hipotecárias que arrastavam para baixo os mercados de todo o mundo, o pânico neste momento já chega a todos os setores das bolsas de valores, e companhias energéticas, empresas de serviços e comunicações e de bens também lideram as perdas.

A publicação ontem do boletim do Banco Central Europeu (BCE), que insistia na persistência de tensões nos mercados financeiros e assinalava que "as perspectivas econômicas estão submissas a riscos de fortes baixas", acentuou o "pânico" que, segundo analistas consultados pela Agência Efe, domina os mercados.

Mais notícias:

Para saber mais

Serviço 

Opinião

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.